Mercado de trabalho substitui mão de obra mais experiente por jovens com salário mais baixo

Economia

Mercado de trabalho substitui mão de obra mais experiente por jovens com salário mais baixo

Estudo comparou o salário médio de admitidos e demitidos durante os nove primeiros meses de 2017, verificando a redução em quase todos os níveis de escolaridade

O Boletim da Economia Capixaba do mês de outubro, produzido pelo Instituto de Desenvolvimento Industrial e Educacional do Espírito Santo (Ideies), entidade do Sistema Federação das Indústrias do Estado do Espírito Santo (Findes) revelou que o mercado de trabalho vem substituindo a mão de obra mais experiente por jovens, que são admitidos com salários menores, estratégia adotada pelas empresa em cenários de redução da atividade econômica. 

O estudo comparou o salário médio de admitidos e demitidos durante os nove primeiros meses de 2017,  verificando a redução em quase todos os níveis de escolaridade (exceto analfabetos). "Esse movimento de troca de profissionais não está restrito apenas ao setor industrial, estando presente também no comércio, nos serviços e na construção civil", destaca a publicação. 

Ao investigar mais detalhadamente esse dado, relacionando o grau de instrução e a faixa etária, o estudo constatou uma variação positiva no saldo de contratação de mão de obra entre 18 e 29 anos: fundamental completo (73), médio completo (1.367) e superior completo (167). Já nas demais faixas etárias, o saldo ficou negativo. 

A análise defende que essa estratégia é fundamental para manter a competitividade das empresas nos mercados interno e externos, mesmo com a política de corte de gastos e do processo de recuperação da crise brasileira. 

No acumulado do ano, de janeiro a setembro, o Espírito Santo registrou um saldo líquido positivo em 1.107 postos de trabalho. Os setores responsáveis por esse resultado foram a agricultura, que obteve acréscimo de 2.184 postos de trabalho, e a indústria de transformação, com aumento de 1.501. Por outro lado, as atividades de comércio registraram um saldo negativo de -3.237.