Presidente francês se reúne com grupos ambientalistas antes do início da COP 21

Economia

Presidente francês se reúne com grupos ambientalistas antes do início da COP 21

Redação Folha Vitória

Paris - O presidente francês, François Hollande, se reuniu com grupos ambientais neste sábado, que pressionam por um acordo global ambicioso para reduzir as emissões de gases responsáveis pelo aquecimento global. As autoridades da França anunciaram que cerca de 1.000 indivíduos foram proibidos de entrar no país, em meio a preparativos para a COP 21, conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre mudanças climáticas, que começa na próxima segunda-feira (30). O evento envolve um forte esquema de segurança, após os atentados terroristas do último dia 13 em Paris.

As conversas no Palácio Elysee antecedem o encontro que contará com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, os líderes da China, Rússia e de outros de 140 países, em uma negociação que deve durar duas semanas, entre 30 de novembro e 11 de dezembro. A intenção é chegar a um amplo e duradouro acordo para combater o aquecimento global.

O ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, disse que pouco menos de mil pessoas, que pareciam representar riscos de segurança, foram proibidas de entrar no país desde que a segurança nas fronteiras francesas foi reforçada, após os ataques terroristas.

Ainda hoje, o chanceler francês Laurent Fabius deve entregar simbolicamente as chaves da COP 21 para a ONU, que vai supervisionar as negociações durante a conferência. Fabius e Hollande visitaram vários países este ano, usando o peso diplomático da França para tentar conseguir apoio internacional para um acordo forte e vinculativo.

O último tratado climático global, o Protocolo de Kyoto de 1997, exigia a redução de emissão de gases apenas dos países desenvolvidos, e não teve a participação dos Estados Unidos. A grande marcha, que seria promovida por ativistas ambientais, foi cancelada por causa das medidas de segurança. Ativistas ainda estão planejando outras ações pequenas em toda a França e em outros países. Fonte: Associated Press