Câmeras 3D e loja virtual: agricultores usam a tecnologia para melhorar a produtividade

Transformação Digital

Economia

Câmeras 3D e loja virtual: agricultores usam a tecnologia para melhorar a produtividade

Especialistas dizem que, no Espírito Santo, o desenvolvimento de soluções digitais fica ainda mais fácil pela proximidade e pela cobertura do sinal de internet.

Francine Leite

Redação Folha Vitória

Esqueça o peso da enxada, a direção dos ventos e a adivinhação para saber a previsão do tempo com antecedência. A mudança de tempo, aliás, já chegou ao campo, e agricultores unem a forte intimidade com a terra à tecnologia para alavancar a produção. 

O produtor rural de Alegre, Neuzedino Assis, de 74 anos, não tira os animais da baia sem ver a previsão do tempo. "Eu acordo e já abro o aplicativo para saber se vai chover, e programo toda a semana com base nessas informações", conta o agricultor, dono de quase 400 animais, criados para a pecuária de corte. 

Foto: Francine Leite/Rede Vitória

Neuzedino também cria camarão de água doce e compra insumos para o funcionamento da fazenda pela internet. Com o celular ou computador, o produtor rural paga contas e faz o controle financeiro da produção. "Ainda tem muito o que melhorar. Eu já estou querendo baixar outros aplicativos para me ajudar na gestão da propriedade", planeja o agricultor do sul do estado. 

Mais de 200 produtores rurais de todo o Espírito Santo participaram, nesta sexta-feira (23), do Agroday, na sede do Sebrae-ES, que promoveu um dia de conhecimento sobre a inovação no campo. No evento foram apresentados demandas e soluções para os diversos desafios da agricultura. Os participantes conheceram novas tecnologias criadas no Brasil e no Espírito Santo para propriedades rurais. 

Num mundo cada vez mais conectado, os capixabas se destacam no uso e na criação de produtos digitais que solucionam problemas comuns no campo. São empreendedores que abriram startups para lançar as plataformas no Espírito Santo. 

Agtechs mais que dobram em dois anos 

Morando no estado há cinco anos, Marcelo Ferreira sentia falta de repor produtos comprados em propriedades rurais do interior. Foi ai que ele e o sócio, um produtor rural de Cariacica,teve a ideia de criar uma loja virtual de produtos da roça. 

Pelo site, o consumidor tem acesso a uma "vitrine" de itens cadastrados, podendo comprar o produto pela internet e, posteriormente, receber a encomenda em casa. "Unimos a demanda da cidade com a necessidade do agricultor de comercializar seus produtos", conta o desenvolvedor, sócio de um produtor rural de Cariacica.

Veja o depoimento dele:


Outras duas startups capixabas foram apresentadas aos agricultores - como a câmera 3D que pesa o gado sem precisar levá-lo a uma balança. Os criadores do software foram premiados, no início do mês, numa batalha de startups latinas, e vão representar o Espírito Santo na disputa americana, que acontece nos Estados Unidos.

Brasileiros já criaram a uber do aluguel de máquinas agrícolas e o cartão de crédito rural sem banco físico -semelhante ao Nubank das fintechs - a agtech cria contas virtuais para os usuários, que podem pagar em dinheiro ou em produtos. 

O número de agtechs - startups para o agronegócio - mais que dobrou nos últimos dois anos, segundo o Censo Agtech Startups Brasil. Eram 76 empresas em 2016 e, em 2018, esse número saltou para 184. 

O Espírito Santo ainda não tem um número contabilizado, mas sai na frente na proximidade do campo com a zona urbana e na cobertura de internet, considerada alta, segundo Demian Condé, analista do Sebrae Nacional. Ele veio ao estado para apresentar o aplicativo, que será lançado em dezembro, para a gestão automatizada de fazendas. 

Veja dicas do Demian Condé para se conectar no campo, mesmo sem internet:

Plugue-se

O Agroday faz parte da programação do Plugue-se, evento promovido pelo Sebrae-ES sobre transformação digital nas pequenas empresas. Uma imersão no universo de inovação, que tem fervilhado as ideias de empreendedores mundo afora. O evento continua até o dia 30 de novembro e pode ser assistido online ou presencialmente. As inscrições devem ser feitas pelo site