Supermercados do Espírito Santo voltam a aceitar cartões da Alelo

Economia

Supermercados do Espírito Santo voltam a aceitar cartões da Alelo

Tíquetes-alimentação haviam deixado de ser aceitos no dia 15 de novembro, após muita polêmica e tentativas de acordo entre os estabelecimentos e a operadora

Compras poderão ser pagas novamente com os tíquetes-alimentação da Alelo Foto: Divulgação

Os supermercados do Espírito Santo começaram a aceitar novamente, neste sábado (20), os cartões de alimentação da bandeira Alelo, o antigo Visa Vale. Eles haviam deixado de ser aceitos no dia 15 de novembro, após muita polêmica e tentativas de acordo entre os estabelecimentos e a operadora.

Alguns dos estabelecimentos que voltaram a receber os pagamentos pela bandeira foram o Carone, Perim, Extrabom, Epa, Calvi, Faé e Casagrande. Algumas unidades do Epa, no entanto, registraram problemas técnicos na hora de passar o cartão da operadora.

No último dia 10, representantes do Sindicato dos Bancários do Espírito Santo (Sindibancários) e um grupo de funcionários do Banco do Brasil, Bradesco e Santander, fizeram um protesto, no Centro de Vitória, contra o não recebimento nos estabelecimentos do tíquete-alimentação da Alelo.

A Justiça do Trabalho, atendendo a um pedido do Sindicato dos Bancários do Espírito Santo (Sindibancários-ES), chegou a determinar que os bancos Santander, Bradesco e Banco do Brasil fizessem o pagamento do tíquete-alimentação da categoria por meio de depósitos mensais em dinheiro. A decisão foi motivada pela recusa dos supermercados em realizar o pagamento das compras por meio do cartão da operadora.

Polêmica

A polêmica em torno da Alelo começou em 2011, quando dezenas de prefeituras do interior de São Paulo deram contratos sem licitação à administradora de vale-refeição Visa Vale. Essas transações começaram a ser questionadas pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) e pelo Ministério Público (MP) paulista.

Em junho de 2012, os supermercados capixabas pararam de aceitar o cartão, após o aumento das taxas cobradas pela Alelo. Em uma reunião, empresários donos de supermercados não entraram em acordo com a empresa administradora do cartão.

Já em julho do mesmo ano, os estabelecimentos voltaram atrás e suspenderam a decisão. Tudo aconteceu após um acordo de redução das taxas firmado entre a empresa Alelo, administradora do tíquete de alimentação, e os empresários. Mas de acordo com a Acaps, a decisão agora é de não receber mais o tíquete.