Líder do PSD faz apelo para que base aceite adiamento de sessão da CCJ

Economia

Líder do PSD faz apelo para que base aceite adiamento de sessão da CCJ

Redação Folha Vitória

Brasília - O líder do PSD na Câmara, Rogério Rosso (DF), se juntou à oposição para pedir a suspensão da sessão desta segunda-feira, 12, da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), na qual está prevista a leitura do parecer pela admissibilidade da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência.

Rosso defendeu que, assim como a sessão no plenário da Casa, os trabalhos na CCJ também devem ser suspensos em razão da morte do deputado João Castelo (PSDB-MA). "Se os trabalhos estão suspensos, com toda sinceridade, não será por um dia que vamos perder ou ganhar", afirmou durante discussão na comissão.

O deputado é uma das principais lideranças do Centrão, bloco informal de 13 partidos liderado por PP, PSD e PTB. Na semana passada, o grupo ameaçou o governo de travar a votação da PEC, caso o presidente Michel Temer nomeie o líder do PSDB na Câmara, Antonio Imbassahy (BA), para Secretaria de Governo.

Para o Centrão, a nomeação do tucano significa uma interferência clara do governo a favor da recondução do atual presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ao cargo em fevereiro de 2017, na medida em que o PSDB já declarou apoio à reeleição do parlamentar fluminense.

Nesta tarde, a CCJ tenta votar requerimentos de obstrução apresentados pela oposição e deputados contrários à PEC para adiar a votação da matéria. O governo, porém, ainda não conseguiu alcançar quórum mínimo de 34 votos necessário para validar as votações desses requerimentos.