Paixão de massa, Times

 

Neste post falarei sobre uma paixão nacional: o futebol. Contarei um pouco da história dos uniformes das grandes equipes brasileiras. Evidentemente o assunto não cabe em apenas um post e voltarei a falar sobre outras grandes forças futuramente. Tratarei apenas do chamado G-12, ou seja, os doze grandes clubes de futebol do Brasil. Neste primeiro post falarei dos quatro gigantes cariocas. Espero que vocês curtam e mandem informações e sugestões para minhas futuras postagens. Fluminense O mais antigo grande clube de futebol em atividade contínua no Brasil (notem que estou falando apenas de futebol), o Fluminense não era tricolor como hoje. Quando deu o pontapé inicial no futebol carioca e brasileiro, o aristocrático clube das Laranjeiras usava um uniforme cinza e branco. O tetracampeão nacional disputou seus jogos iniciais com uma camisa dividida em metades iguais em branco e cinza até 1904, quando Oscar Cox (primeiro presidente, fundador do clube e um dos primeiros jogadores) foi à Inglaterra com outro integrante da diretoria do clube, Mário Rocha, e descobriu que em Londres não era mais fabricado o padrão utilizado pelo time até então. Cox e Rocha viram um tecido nas cores grená, branca e verde e por telégrafo mandaram uma mensagem aos outros membros da direção do Fluzão sugerindo que a camisa do time passasse a ser utilizada com estas tonalidades. No dia 15 de julho de 1904, uma Assembleia Geral aprovou, por unanimidade, as novas cores da equipe, que passava a ser tricolor de fato. A estreia do novo uniforme, porém, só ocorreu no ano seguinte e em grande estilo: goleada por 7 a 1 sobre o Rio Cricket. Vale ressaltar que em 1908 o time adotou uma faixa diagonal numa camisa branca, com as cores grená e verde. Dois anos depois a camisa totalmente branca surgiu como um uniforme alternativo. As cores do Fluminense expressam a elegância do clube, que nasceu em berço de ouro e se popularizou por todo o Brasil ao longo de mais de um século de conquistas.

Fluminense
Fluminense

 

Flamengo Uma briga no Fluminense fez nascer o time mais popular do Brasil. Ex-atletas do tricolor criaram em 1911 o departamento de futebol do Flamengo, que na opinião do dramaturgo Nelson Rodrigues viria a ser “uma força da natureza”. Vale lembrar que o Clube de Regatas do Flamengo foi fundado em novembro de 1895, mas não tinha um time de futebol. Em 1912 o Mengão disputaria suas primeiras partidas de futebol com o mesmo uniforme do remo: camisas com listras horizontais em vermelho e preto (a primeira camisa do esporte aquático era azul e amarela, usada entre 1895 e 1896. Ela foi também o terceiro uniforme do time de futebol em 2010, numa edição especial). Mas o departamento de remo do Fla não aceitou o fato e o time de futebol foi forçado a adotar uma camisa nas cores vermelha e preta, em xadrez, que ficou conhecida como papagaio de vintém. Este uniforme não deu muita sorte à equipe e no ano seguinte ele foi jogado para escanteio. Em 1913 os flamenguistas passaram a usar uma camisa com vermelho, preto e frisos brancos. O uniforme ganhou o apelido de cobra-coral, mas lembrava muito a bandeira da Alemanha na época. O país europeu, na ocasião, se tornou inimigo de muitas nações por causa da I Guerra Mundial e para evitar polêmicas o clube passou a adotar, em 1916, a camisa com as faixas horizontais em vermelho e preto, que o eternizaria. Desta vez o departamento de remo do Flamengo não se opôs. Em 1938 o técnico rubro-negro, Dori Kruschner sugeriu a criação de um segundo uniforme para o Fla, predominantemente branco. Seria uma estratégia para os jogos noturnos da equipe. A camisa do Mais Querido transmite a raça, amor e paixão de sua torcida. A combinação de vermelho e preto traduz a garra e a conquista de inúmeros títulos alcançados pelo Flamengo ao longo de décadas de sua existência.

Flamengo
Flamengo

 

Vasco Fundado em 1898 como clube basicamente voltado para os esportes náuticos (sobretudo o remo), o Vasco da Gama já usava sua tradicional camisa preta com uma faixa diagonal branca nas raias. A Cruz de Cristo (e não a Cruz de Malta como muitos ouvem falar, até mesmo no hino do clube) ficava centralizada, na altura do tórax dos atletas. Os remadores vascaínos travaram duelos históricos com seus rivais históricos, principalmente contra os flamenguistas e botafoguenses. Somente em 1915 houve a criação do departamento de futebol do clube carioca, de origens portuguesas. Quando entrou em campo pela primeira vez o Vascão se apresentou com camisa preta, uma faixa central branca (semelhante a uma gravata), a Cruz Pátea como escudo, meias pretas com detalhes brancos e calção branco. Este uniforme teve como referência o Lusitânia, que realizou uma fusão com o próprio Vasco. Nos anos 20 do século passado o time de futebol também passou a usar a faixa diagonal branca, camisa preta e a Cruz de Cristo na altura do coração. Aliás o preto mostrava que o Vasco era um dos pioneiros no Brasil a admitir jogadores negros em seus quadros. No final década de 1930 a camisa branca com faixa diagonal preta surgiu dentro das quatro linhas e foi a última grande alteração no uniforme do Gigante da Colina. A camisa do Vasco representa a popularidade do clube, seu pioneirismo na luta contra o racismo e também a força da união entre Brasil e Portugal. Ela faz a torcida cruz-maltina feliz, norte a sul deste país.

Vasco
Vasco

Botafogo O time de futebol do botafogo foi criado em 1904. A equipe, nesta ocasião, utilizava camisas e calções brancos e meias laranjas. Em 1906, Itamar Tavares, um dos fundadores do Fogão sugeriu que a equipe de futebol usasse uma camisa com listras verticais nas cores preta e branca, como a Juventus de Turim, Itália, país onde o dirigente havia estudado em sua juventude. A estreia do uniforme alvinegro ocorreu durante um amistoso com o rival Fluminense. O Glorioso passou a utilizar calções pretos em 1935, enquanto que as meias cinzas surgiram em 1957. Durante décadas o time de futebol foi alternando calções brancos com negros e meias brancas com cinzas. Uma coisa que muita gente não sabe é que o estatuto do Botafogo prevê que a quantidade de listras da camisa do time deve ser de sete a nove. Preto e branco mostram a classe do futebol demonstrado pelo Fogão ao longo dos tempos. A camisa alvinegra já foi trajada por grandes mitos do futebol, como Garrincha, Nilton Santos, Didi e Gerson, além de tantos outros

Botafogo
Botafogo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *