Estudantes reescrevem o clássico Dom Casmurro

Os alunos das aulas de Literatura, da 2ª série do Ensino Médio, do Centro Educacional Leonardo da Vinci estão desenvolvendo um projeto de reescrita do romance clássico da literatura brasileira Dom Casmurro. O projeto se originou do questionamento quanto à relevância do texto em relação à discussão sobre o lugar da mulher na sociedade atual, questão protagonista especialmente no mês de março.

Originalmente escrita por Machado de Assis em 1899 sob a perspectiva do protagonista Bentinho, um homem do século XIX, a história de amor e ciúme agora é reescrita a muitas mãos pelos alunos a partir do ponto de vista da Capitu, com o desafio de responder ao grande questionamento do livro: Capitu traiu ou não Bentinho?

De acordo com o coordenador de Língua Portuguesa e Literatura Brasileira da escola, Marcos Ramos, o objetivo da iniciativa é, além de aguçar o olhar dos alunos para o uso de recursos narrativos característicos do autor, ampliar a compreensão de mundo a partir da contextualização da obra e do confrontamento do clássico com os dilemas atuais da sociedade.

Professor Marcos Ramos

“Dom Casmurro é uma história saborosa, toda narrada em primeira pessoa pelo próprio Bento Santiago. É uma perspectiva única, masculina, sobre um relacionamento. Uma questão que há anos chama a atenção da crítica é a validade desse olhar: será que Bentinho diz a verdade ou seria apenas o ponto de vista de um homem do século XIX? A partir daí, os alunos estão, em um exercício inédito, analisando as características da personagem, criando especulações e fazendo exercícios narrativos para ‘dar voz à Capitu’”, esclarece Marcos. 

Durante este semestre, o coordenador explica que cada aluno será responsável por escrever dois capítulos do novo livro.Dom Casmurro é uma obra bem antiga e que oferece desafios ao jovem leitor do século XXI, mas, com uma boa dose de mediação e diálogos, desfrutamos da história cheia de ironias e colocamos em debate um assunto relevante para a formação da atual geração”, finaliza Marcos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *