Elas no comando! Mostra online de teatro reúne mulheres diretoras do ES e Brasil

FOTOS: Henrique César

Durante a semana do Dia Internacional da Mulher serão exibidos pelo YouTube 8 espetáculos dirigidos por mulheres

O Dia Internacional da Mulher é celebrado no dia 8 de março. A ideia de uma celebração todos os anos surgiu depois que o Partido Socialista da América organizou um Dia da Mulher, em 20 de fevereiro de 1909, em Nova York — uma jornada de manifestação pela igualdade de direitos civis e em favor do voto feminino.

E pensando nisso, este ano a data será celebrada com muito teatro! “As Oito de Março” é um festival online que vai exibir a gravação de 8 espetáculos dirigidos por mulheres representantes do teatro contemporâneo brasileiro. O festival acontecerá a partir desta segunda-feira (1) até o dia 8 de março com exibição pelo YouTube do projeto. Após cada apresentação haverá um debate ao vivo com as diretoras.

O projeto tem o objetivo de representar a diversidade do teatro brasileiro e por isso convidou mulheres de todas as regiões do país. Serão exibidos espetáculos dirigidos por mulheres dos estados do Amazonas, Brasília, Ceará, Espírito Santo, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e São Paulo, e que abordam diversos temas como a negritude, a maternidade, conflitos amorosos, narrativas indígenas, sexualidade, isolamento social e questões existenciais.

Com curadoria e produção da atriz e dramaturga capixaba Aidê Malanquini, a mostra é uma forma de contribuir com a valorização das mulheres que trabalham no teatro, que durante muito tempo tiveram suas obras e nomes apagados, e também fomentar o debate sobre a potência das criações artísticas das mulheres.

“A minha produção sempre esteve voltada para questões de gênero e da condição da mulher e, a partir dessa vivência, surgiu o projeto ‘As Oito de Março’ para divulgar os espetáculos de diretoras brasileiras e refletir sobre quem são essas mulheres e quais são os olhares e pesquisas dentro do teatro”.

Ser mulher e artista hoje está longe de ser fácil, mas conquistamos muitos espaços e queremos ser reconhecidas ainda mais. Mesmo sendo um projeto artístico, ele assume também um viés político, a partir do momento que nós mulheres artistas vamos lutar por esse lugar que também é nosso”, finaliza a produtora do projeto.
Aidê Malanquini

Programação 🎭︎

Segunda-feira – 01/03

18h30 – “Tangerina”, dirigido por Alexsandra Bertoli – ES (transmissão pelo YouTube)

Duração: 33 minutos

Sinopse: Desde criança, uma mulher é acometida por um tipo de insônia não diagnosticada pela ciência. De madrugada, anda pela casa a procura do “tempo”, com o intuito de tomar satisfações e acertar as contas com ele sobre o que considera injusto – a partir de suas perspectivas e contextos históricos. Essa busca incessante, promove reações verbais inesperadas em suas falas – que se reverbera num desejo incontrolável de livrar-se de segredos, sentimentos e memórias sobrepostas em seu corpo – feito cascas. “Tangerina” foi desenvolvido em meio a pandemia do Covid-19 e inspirado em um conto de mesmo nome da atriz Lorena Lima, protagonista do espetáculo.

20h – Debate ao vivo (transmissão pelo YouTube)

Terça-feira – 02/03

18h30 – “Tudo ao mesmo tempo agora”, dirigido por Maria Vitória – CE (transmissão pelo YouTube)

Duração: 42 minutos

Sinopse: “Tudo ao Mesmo Tempo Agora” é a história de Úrsula Laura: uma sensação de tudo ao mesmo tempo agora impedia seu sonho de dançar.  É sobre ser fiel a si mesmo. Tudo ao Mesmo Tempo Agora é um texto premiado no I Edital de Dramaturgias Femininas da Secretaria da Cultura de Fortaleza. O novo momento é sobre um texto feito originalmente para teatro e agora ganha uma nova… Adaptação? Não é bem teatro, mas é  teatro. Não é audiovisual, mas é audiovisual. Não entra em classificações. É uma vontade de estar no mundo.

20h – Debate ao vivo (transmissão pelo YouTube)

Quarta-feira – 03/03

18h30 –  “Terra Adorada”, dirigido por Ana Luiza da Silva e Jezebel De Carli – RS (transmissão pelo youtube)

Duração: 1h11

Sinopse: Realizado pela produtora Complo Cunha, “Terra Adorada” é sobre nós, dirigido a nós, os brasileiros que não se consideram índios. Entrelaçando narrativas vivenciadas em terras indígenas Guarani e Kaingang, notícias jornalísticas, dados históricos, palavras de Renata Machado Aratykyra, Davi Kopenawa, Daniel Munduruku, Jaider Esbell, Terra Adorada apresenta um olhar crítico sobre esse Brasil parido à força, inventado a partir das dores de mulheres pegas no laço. Um espetáculo sobre um país que “vai pra frente”…

20h – Debate ao vivo (transmissão pelo YouTube)

Quinta-feira – 04/03

18h30 – “Pedaço de Rua”, dirigido por Fernanda Jacob – DF (transmissão pelo YouTube)

Duração: 27 minutos

Sinopse: O espetáculo teatral Pedaço de Rua é a feitura de um altar. Celebra o encontro de corpos pretos, tendo o amor como cura e reencontro com a ancestralidade. Uma história que começa em Cachoeira, no Recôncavo Baiano e atravessa tempos, cartografias e memórias.

20h – Debate ao vivo (transmissão pelo YouTube)

Sexta-feira – 05/03

18h30 – “Ainda bem que não tivemos filhos”, dirigido por Lu Maya – AM (transmissão pelo YouTube)

Duração: 30 minutos

Sinopse: Um encontro sobre os desencontros, o espetáculo “Ainda bem que não tivemos filhos”, quinto trabalho do Grupo Garagem, traz a cena situações que permeiam as relações amorosas. De uma forma poética, entre o humor e o drama, a peça fala sobre as marcas que os afetos deixam em nós depois que se vão, sejam eles passageiros ou duradouros.

20h – debate ao vivo(transmissão pelo YouTube)

Sábado – 06/03

18h30 – “Enquanto ela dormia”, dirigido por Eliane Monteiro – SP (transmissão pelo YouTube)

Duração: 1h6

Sinopse: As memórias recalcadas da infância de Dora, uma professora de literatura, retornam após presenciar uma cena de assédio em um ônibus. Enquanto Ela Dormia expõe, de certo modo, as marcas profundas do abuso e do despotismo da sociedade na subjetividade da mulher.

20h – Debate ao vivo (transmissão pelo YouTube)

Domingo – 07/03

18h30 –  “Julieta mais Romeu”, dirigido por Paula Queiroz – RN (transmissão pelo YouTube)

Duração: 1h

Sinopse: “Julieta mais Romeu” é o trabalho inaugural do Grupo Asavessa, com Paula Queiroz assinando a direção. Nossa montagem de um dos maiores clássicos de Shakespeare é pensada para as ruas, para o cenário do interior nordestino e em um universo da comédia popular. Envolta por canções, a peça é narrada por seis convidados da grande festa que celebra a trégua entre as famílias de Romeu e Julieta, os Montéquio e os Capuleto. Os narradores relembram toda a história do casal símbolo universal do amor eterno, ilustrando as cenas vividas e dando pitaco na relação proibida dos dois. Discute-se o amor e os conflitos políticos que permeiam esse ícone da dramaturgia universal.

20h – Debate ao vivo (transmissão pelo YouTube)

Segunda-feira – 08/03

18h30 – “Quando acordar a cidade”, dirigido por Rejane Arruda – ES (transmissão pelo YouTube)

Duração: 53 minutos

Sinopse: “Quando acordar a cidade” brinca com a cultura da rádio, que se faz palco das canções, charadas e histórias de nove cegos andarilhos.

20h – Debate ao vivo (transmissão pelo YouTube)

Serviço 🎭︎

A mostra de teatro online “As Oito de Março” será transmitida de forma online pelo YouTube durante os dias 1 a 8 de março. Com curadoria e produção da atriz e dramaturga, Aidê Malanquini, os oito espetáculos que compõem a mostra representam a diversidade do teatro contemporâneo e reúnem mulheres diretoras de diversas regiões do Brasil. Assista aqui: www.bit.ly/as8demarco

Redes sociais 🎭︎

YouTube: www.bit.ly/as8demarco
Instagram: @asoitodemarco
Facebook: As Oito de Março

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *