'Genet: O Poeta Ladrão' reúne beleza estética e situações de caos

Entretenimento

'Genet: O Poeta Ladrão' reúne beleza estética e situações de caos

Redação Folha Vitória

São Paulo - Delírio e memória se mesclam na montagem de Genet: O Poeta Ladrão, texto do dramaturgo Zen Salles que conta com a direção de Sérgio Ferrara. Depois de estrear no final de 2013 e percorrer diversos espaços no ano passado, o espetáculo volta no dia 14, agora no Teatro Nair Bello, no Shopping Frei Caneca.

"É um universo impactante e que não permite perfumaria. É preciso mergulhar sem pudor para entendê-lo. Genet habitava as sombras", disse Ferrara ao Estado, na época da estreia da montagem. De fato, como sua obra carregava profundos vestígios do mundo marginal em que habitava, Genet (vivido em cena por Ricardo Gelli, em atuação perfeita) turvava consistentemente fatos pessoais em seus escritos, não por discrição, mas para torná-los mais saborosos e, desde sua morte, a obra vem conquistando uma reputação mais sólida.

A peça de Zen Salles traz cenas curtas, com acontecimentos condensados. Já a habilidade teatral de Ferrara é traduzida em momentos com os atores compondo telas vivas. "Era preciso que eu resgatasse a estética dele. Sua obra é muito imagética", afirmou o encenador.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.