• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Mulher dá à luz quíntuplos após quatro abortos e morte de dois recém-nascidos

  • COMPARTILHE
Entretenimento

Mulher dá à luz quíntuplos após quatro abortos e morte de dois recém-nascidos

Os cinco novos bebês vieram ao mundo no dia 11 de janeiro na Califórnia, nos Estados Unidos, e estão saudáveis e estáveis

Um casal norte-americano que tentava ter o terceiro filho deu à luz gêmeos quíntuplos. Amy e Chad Kempel já tinham enfrentado quatro abortos espontâneos e a morte de dois gêmeos que nasceram prematuramente em 2013. Os cinco novos bebês vieram ao mundo no dia 11 de janeiro na Califórnia, nos Estados Unidos, e estão saudáveis e estáveis, informou a família ao jornal Daily Mail.

Após os incidentes que enfrentaram, os Kempel conseguiram ter duas meninas, hoje com três e um ano. Ao tentar o terceiro filho, a família foi surpreendida com uma gravidez de cinco. Eles relataram medo de não sustentar a gravidez de risco, já que Amy tem um colo de útero delicado, o que dificulta a permanência de uma gestação.

O casal também enfrentou dificuldade no acesso a médicos especialistas no cuidado e nascimento de múltiplos. O seguro de saúde não aceitou fornecer o profissional, e uma ajuda de custos pedida a Donald Trump tampouco foi respondida.

Mesmo sem o médico referência que desejavam, o casal conseguiu que Amy passasse 36 dias no hospital antes de dar à luz três meninos e duas meninas: Lincoln, Noelle, Grayson, Preston e Gabriella. Ao Daily Mail, Char Kempel contou que até agora tudo está bem e na medida do possível. "Não há complicações, o nível de oxigênio está bom e exames do cérebro mostram que os bebês são saudáveis".

Os bebês devem ficar no hospital até meados de março."Queremos ver todos nossos filhos sob o mesmo teto. Será um caos, mas um caos bem-vindo", afirmou o agora pai de sete filhos, Chad Kempel.

Familiares do casal criaram uma conta do GoFundMe e a meta é conseguir doações no total de 750 mil dólares (aproximadamente R$ 2,4 milhões) para ajudar nos custos médicos. Até agora 13.500 dólares (ou R$ 43 mil) foram doados.