• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Costa a Costa abriu caminhos e propôs nova estética ao rap

Entretenimento

Costa a Costa abriu caminhos e propôs nova estética ao rap

Componente ético do hip hop (intrinsecamente ligado à produção estética), o fator "abrir caminhos" é familiar ao Costa a Costa. O grupo formado em 2005 em Fortaleza por Nego Gallo e Don L (e depois Junior D, Flip-Jay e Berg Mendes) marcou época ao oferecer uma alternativa ao rap nacional em 2007, momento de transição nas tendências do gênero, com a mixtape Dinheiro, Sexo, Drogas e Violência de Costa a Costa.

Se antes o rap privilegiava a narrativa em terceira pessoa (ou pelo menos contando histórias de terceiros), o Costa a Costa passou a falar do "eu", propondo diálogos entre classes sociais, regiões do País e ritmos latinos.

"Surpreendeu (o sucesso da mixtape)", diz Gallo. "A gente tinha um sentimento, vivendo em Fortaleza, de estar vivendo desafios de qualquer lugar. Conhecemos pessoas, a música chegou em lugares que nunca pensamos. E aí veio Hermano Vianna."

O antropólogo foi quem descobriu o grupo, segundo Gallo. Em um texto de 2007, Vianna cravava sobre o disco: "É - não tenho nenhuma dúvida - um dos documentos mais contundentes, impressionantes e acachapantes sobre a realidade brasileira contemporânea (como se ler jornal não fosse suficiente...) É um Sobrevivendo no Inferno traduzido para o Século 21 - e é preciso constatar: o inferno piorou muito." Ele segue então analisando as 23 faixas da mixtape, que define como "uma mistura poderosa e violenta de hip hop (estilo bounce de Nova Orleans, ou crunk de Atlanta/Memphis) com brega (Sidney Magal!), salsa, Perez Prado, carimbó e reggaeton, quase tudo muito dançante mas sem perder o ar soturno jamais".

Hoje, o disco é sempre lembrado nas discussões sobre a nova geração do rap vindo do Nordeste, de nomes como Baco Exu do Blues, Diomedes Chinaski, Vandal, e outros.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.