Entretenimento e Cultura

Morre o estilista Karl Lagerfeld, diretor-criativo da Chanel

A informação é da imprensa francesa

Foto: Reprodução

O estilista alemão Karl Lagerfeld morreu nesta terça-feira, 19, aos 85 anos, em Paris. A causa da morte ainda não foi confirmada. A informação é da imprensa francesa.

O estilista alemão Karl Lagerfeld desfrutava da estatura de um deus entre os mortais do mundo da moda, onde permaneceu no topo por mais de meio século e até a sua morte, numa idade que quase ninguém além de si mesmo conhecia com a precisão de hoje. O estilista alemão era mais conhecido por sua associação com a francesa Chanel, que remonta a 1983. A marca, diz a lenda, corria o risco de se tornar a reserva de vovós endinheiradas antes de ele chegar, cortando as bainhas e acrescentando brilho aos ternos fofos do que é agora uma das casas de costura mais valiosas do mundo.

Mas Lagerfeld, que ao mesmo tempo produzia coleções para a Fendi da LVMH e a marca que leva seu nome – um feito inédito na moda -, era quase uma marca por si só. Trajes escuros esportivos, cabelos brancos, rabo-de-cavalo e óculos escuros nos últimos anos que o tornaram instantaneamente reconhecível, um humor irreverente também fazia parte de uma persona cuidadosamente elaborada.

“Sou como uma caricatura de mim mesmo e gosto disso”, dizia, uma citação lendária atribuída a ele, e muitas vezes reciclada para transmitir a pessoa que ele gostava de interpretar. “É como uma máscara. E, para mim, o Carnaval de Veneza dura o ano todo.” Seus instintos artísticos, perspicácia comercial e ego proporcional combinavam-se a um efeito comercialmente triunfante no mundo rarefeito da alta moda, onde ele era reverenciado e temido em proporções semelhantes por concorrentes e top-models. A recusa em olhar para o passado era um dos seus maiores bens, disseram aqueles que o conheciam.

Pontos moeda