• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Chegou o que Faltava mostra sua força e se credencia pelo título

CARNAVAL 2020

Entretenimento

Chegou o que Faltava mostra sua força e se credencia pelo título

O samba, muito bem conduzido pelo carro de som, comandado pelo experiente Marcinho Diola, foi apenas funcional

Gustavo Fernando e Thaiz Blunck

Redação Folha Vitória
Foto: Vitor Machado

A Chegou o que Faltava fez valer a força de seu nome e mostrou na avenida que sabe fazer a diferença no Carnaval de Vitória. A escola da Grande Goiabeiras, vice-campeã em 2019, foi a antepenúltima a entrar no Sambão e mostrou um desfile digno da briga pelo título.

Através do enredo “Que Comecem as Apostas: Sorte Ou Azar, Só O Tempo Dirá”, desenvolvido pelo carnavalesco Lucas Santana, em seu primeiro ano na agremiação, a escola se apresentou com três carros alegóricos de ótima leitura e acabamento, inclusive um deles contento um imenso painel de led, que continha o símbolo da agremiação.

O primeiro casal, formado por Marcos Paulo e Thais Oliveira, fez uma boa apresentação e se credenciou para obter as três notas 10 dos jurados.  Destaque também para a bateria dos mestres Fernando Marins e
Douglas Alves (Jacaré), que "tirou onda na avenida".

Um dos pontos negativos foi o quesito evolução, já que a escola apresentou alguns buracos ao longo do desfile. Em resumo, a Chegou o que Faltava se apresentou com um grande número de componentes, mas um conjunto de fantasias irregular, possuindo muito mais leitura e colorido a partir da metade do desfile. Ainda assim, foi uma das três melhores o Acesso até o momento.

Confira a ficha técnica:
Presidente: Rafael Cavalieri
Vice Presidente: Nizete Marques (Nega)
Carnavalesco: Lucas Santana
Diretor de Carnaval: Elder Alves
Diretor-geral de Harmonia: Elder Alves
Comissão de Harmonia : Fernanda Bulhões, Alexandre Júnior, Léo Cavalieri, Thaty Braga e Kleyson Faria
Intérprete Oficial: Marcinho Diola
Mestres de Bateria: Mestre Fernando Marins e Douglas Alves (Jacaré)
Rainha de Bateria: Jamila Alvarenga
Madrinha de Bateria: Lidiane Castelan
1° Porta-Bandeira: Thais Oliveira
1° Mestre-Sala : Marcos Paulo
2° Porta-Bandeira: Thaís Gouveia
2° Mestre-Sala: Izak Rodrigues
3º Porta Bandeira : Louise Lobo
3º Mestre Sala : Luiz Felipe
Coreógrafo da Comissão de Frente: Lalau Martins
Diretora de Passistas: Enilda Ribeiro (Doia)
Coreógrafo das Passistas: Júnior Martins
Data de fundação:06/06/1975
Cores: Azul, Branco e Rosa
Símbolo: Coroa e Casal de Mestre Sala e Porta Bandeira
Bairro: Goiabeiras
Enredo de 2020: “Que comecem as apostas: Sorte ou Azar, só o tempo dirá"
Número de alas: 17
Número de alegorias: 03 alegorias.
Número de componentes: 1.000
Nome da Bateria: Ritmo Nervoso

Enredo: “Que Comecem As Apostas: Sorte Ou Azar, Só O Tempo Dirá”.

Compositores: Tuninho Azevedo, Girão, Jean Brito, Almeida Júnior, Almir Cruz, Antônio Conceição, Breno Almeida, Beto Azevedo, Neyzinho do Cavaco e João Pedro.

A Sorte está lançada, eu quero ver
Qual o bicho que vai dar
Vou levantar poeira, dar a volta por cima
Chegou O Que Faltava nesse meu carnaval
Nossa vitória hoje é real
Jogamos as cartas na mesa
Pedindo aos deuses para nós abençoar
A fé que remove montanha
Traz conforto e alivia a emoção
Na mitologia surge a nova forma de expressar
Momentos oportunos irradiam
Se é sorte ou azar
Nossa alegria, só o tempo dirá
Preparo o patuá, a figa de guiné
O trevo da sorte, vamos usar
Buscamos a nossa solução
Afastando o mau-olhado
O Olho de Hórus passa a proteção
Senhor... perdoai a humanidade
Que julgou sua liberdade... Na crucificação
Romanos revoltos com a atitude
Fez da “cara ou coroa”
Toda forma de expressão
Considerados cruéis e violentos
Os gladiadores lutavam pela vida
Os deuses do Olimpo buscaram a perfeição
Nos atletas de competição.