• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Após problemas com Emilly, Marcos é expulso do Big Brother Brasil

  • COMPARTILHE
Entretenimento

Após problemas com Emilly, Marcos é expulso do Big Brother Brasil

A expulsão foi anunciada pelo apresentador Tiago Leifert logo no início do programa, na última segunda-feira (10). A Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher (DPAM) do Rio de Janeiro decidiu investigar imagens do programa

Marcos e Emilly tiveram desentendimentos Foto: Reprodução

O cirurgião plástico Marcos Hater foi expulso do Big Brother Brasil, na noite da última segunda-feira (10). A expulsão foi anunciada pelo apresentador Tiago Leifert logo no início do programa.

As atitudes de Marcos deixaram os fãs do programa indignados. Após discutir e elevar a voz para Emilly, Marcos não passou despercebido para quem o assistia. A própria confinada fez uma reclamação ao namorado pela forma que ele estava a segurando. Durante a discussão Emilly lamentou: "Marcos, está doendo, está me machucando”.

No Twitter, o público não poupou críticas ao médico após suposta agressão que ele cometeu. Com a hashtag "MarcosExpulso" os internautas exigiram a saída e a prisão de Marcos. A irmã de Emilly também usou as Redes Sociais para registrar a preocupação para com a irmã. "Quero deixar claro para todos, meu pai está em contato com a produção. Chegou no limite. Estamos devastados com tudo que vimos".

Polícia investiga caso

A Divisão de Polícia de Atendimento à Mulher (DPAM) do Rio de Janeiro decidiu investigar imagens do programa para saber se houve excessos por parte do Médico. Segundo entrevista à revista Veja, a diretora da DPAM, Marcia Noeli, disse ter instaurado um procedimento para pedir as imagens do reality show e apurar se houve agressão física de Marcos contra Emilly. 

“É meu dever, a partir do momento em que sei que algo de errado está acontecendo ali, investigar. Vamos pedir as imagens para verificar. Já o constrangimento psicológico por que ela passou, ou casos de calúnia, precisaria da manifestação da vítima”, explica a diretora a revista.