Franciely Freduzeski nega ser affair do pai de Neymar e fala sobre depressão

Entretenimento

Franciely Freduzeski nega ser affair do pai de Neymar e fala sobre depressão

"Não sou affair de ninguém. Cada vez mais buscando minha cura de uma tristeza que vem das profundezas dos nervos mais escondidos", disse a atriz

Redação Folha Vitória
Foto: Reprodução/Rede Social

Em alto e bom som! A atriz Franciely Freduzeski, que tem sido apontada como affair do pai de Neymar já há um bom tempo, resolveu botar um fim nas especulações da sua suposta relação com o empresário e, pelo Instagram, falou sobre o assunto.

Junto de uma galeria composta por uma das fotos que fez para o ensaio Sofá Azul, nua, e também por prints de títulos de matérias falando sobre seu caso com o Neymar pai, a atriz declarou:

"Não sou affair de ninguém. Cada vez mais buscando minha cura de uma tristeza que vem das profundezas dos nervos mais escondidos", disse.

Na caixa de comentários, os seguidores da beldade não deixaram de demonstrar apoio a ela. Uma seguidora, por exemplo, disse:

Que você se recupere logo, e perceba que a vida é linda demais para a gente viver, comece a dar valor nas coisas simples, como um pôr do sol, uma brisa gostosa no rosto ou um sorriso sincero de alguém para você. Na torcida para você ficar bem.

O Jornal Extra divulgou uma entrevista, no último domingo, dia 31, com Franciely em que ela fala mais sobre seu quadro de depressão e sobre seu diagnóstico de endometriose. Sobre a depressão, ela declarou que um dos fatores que a ajudaram a desenvolve-lo foi uma frustração profissional. Ela passou algum tempo nos Estados Unidos e quando retornou ao Brasil não conseguiu tantos trabalhos:

"Quando cheguei, achei que eu ia conseguir trabalhar, viver uma vida normal, mas não consegui. Voltei a estudar mais ainda aqui no Brasil e acabei ficando doente. E um dos fatores da endometriose é a depressão, porque ela baixa tua autoestima, seu hormônios. Isso mexeu com a minha autoestima", falou.

Além disso, na matéria, ela contou que, apesar de estar lidando melhor tanto com seu quadro de depressão, quanto com seu quadro de endometriose, já pensou em cometer suicídio:

"Em alguns momentos eu cheguei a pensar: o que eu estou fazendo aqui? Eu pensava várias vezes como eu poderia morrer. E o que mais me deu força foi o meu filho. Meu maior medo era eu acordar um dia e fazer alguma coisa contra a minha vida. Depressão é uma tristeza profunda que você não consegue controlar", comentou.

Forças, Fran! Vale lembrar que se você conhece alguém que esteja passando por dificuldades emocionais e/ou psicológicas e que precise de ajuda, sendo um suicida em potencial ou não, ligue para o número 188. É o contato do CVV (Centro de Valorização à Vida), que possui voluntários capacitados 24 horas por dia à disposição. A ligação é gratuita para todo o Brasil.