Gabriela Moreyra, atriz de Escrava Mãe elogia Pedro Carvalho, seu parceiro de cena e promete: -Estou querendo ir para Portugal

Entretenimento

Gabriela Moreyra, atriz de Escrava Mãe elogia Pedro Carvalho, seu parceiro de cena e promete: -Estou querendo ir para Portugal

Redação Folha Vitória

-

A próxima novela da Record, Escrava Mãe, promete levar paras as telinhas um casal muito fofo, que vai nos deixar grudadinhos nas telinhas, shippando muito. São eles a escrava Juliana e o português Miguel.

Durante a coletiva de imprensa da trama, que aconteceu na sexta-feira, dia 20, Gabriela Moreyra e Pedro Carvalho, que vão viver os protagonistas, eram só sorrisos e muita animação para a trama que estreia no dia 31 de maio. A atriz falou um pouco sobre Juliana, sua nova personagem:

- A pessoa que segura a onda dela, que segura a barra dela é a tia Joaquina (Zezé Motta), com quem ela divide, como se fosse o diário dela, ela é uma supermãe. E a Juliana é uma menina mulher, acho que ela numa fase de transição da vida dela, ela tem muita garra, tem muita força, mas é uma mulher muito doce. Gosta muito de gente, cuida muito das pessoas e é uma pessoa completamente amorosa, acaba se deparando com algumas situações, então a vida dela tem uma mudança nesse momento quando ela se enxerga escrava, que até então aquele nome, escrava para ela não significava tanto, até que ela passa por coisas e começa a questionar a vida, questionar as pessoas. E a outra mudança grande da vida dela é o encontro com o Miguel, que é o amor da vida dela, que ela descobre o amor pela primeira vez.

Juliana, na trama, será uma escrava que sofrerá bastante, principalmente nas mãos de Maria Isabel, personagem de Thais Fersoza, que dará nela diversas chibatadas, tenso, não é mesmo? Gabi contou como foi a preparação para uma personagem tão forte:

- Eu acredito que alguns personagens que chegam na vida da gente, já estão dentro da gente, afinal de contas, se não existisse eu não existiria a Juliana, eu procurei ver muita referência, li bastante tive preparação de elenco, a gente teve também um workshop e eu acho que foi uma construção diária sabe? Não foi do dia para a noite, foi uma construção diária com os textos e com o dia-dia mesmo, junto com os outros atores, com as trocas aí o personagem vai se formando... Entrevistei meu pai, por causa dos meus avós e meus tataravós, tive uma conversa profunda, gravei, estudei muito, li bastante coisa, vi filmes, filmes até difíceis de ver.

E revelou como está sendo viver sua primeira protagonista:

- Então é legal, é completamente intenso, é arrebatador, você vive para aquilo é como se você abdicasse de si próprio por alguns meses, é bem louco voltar a ser si mesmo, é um processo de volta, quando eu estava me despedindo da Juliana eu chorava, é claro que é junto da despedida de si, que não é você, mais os amigos do dia-dia, os colegas, enfim, foi muito legal, foi muito intenso, é trabalhoso, mas é bom, eu sinto gratidão, acho que o sentimento é esse. Eu acho que o difícil é saber que os meus antepassados passaram por isso, que aquilo ali era uma ficção, que eu estava fazendo uma ficção, mas aquilo ali aconteceu, sabe? É forte, eu acho que isso que é o difícil, de saber que alguém passou por isso na minha família e eu sei que passou. As outras dificuldades a gente vai passando, como se fosse nível, são fases, eu acho que essa dificuldade é uma que não tem nível, ela existe e ponto.

Sobre o fato da trama já ser toda gravada, a bela contou como se sente, sem saber a reação do público sobre o trabalho:

- É difícil, porque foi a primeira vez, talvez se daqui para frente se eu tiver que fazer alguma coisa parecida, com o que foi essa obra, talvez eu não fique com esse nervoso, não fique com esse sentimento, é que eu acho que foi a primeira vez e tudo que é a primeira vez dá medo mesmo.

E parece que toda a boa relação de Gabriela e Pedro não ficaram só nas telinhas. Durante o evento eles provaram que se dão muito bem, com muitos sorrisos e brincadeira trocadas. A moça, aliás, se derreteu elogiando o colega:

- É maravilhoso, inclusive eu estou querendo ir para Portugal, para ficar lá com ele e é muito meu amigo, acho que eu vou levar para vida toda, na verdade eu amo o elenco todo, eu não tive nada com ninguém. É obvio que a gente brigava, porque a gente virou uma família, mas isso é uma coisa natural, eu levaria todo mundo comigo, mas se eu tivesse que escolher seis eu colocaria todos no meu bolso e levaria para viver comigo. E aí o Pedro é isso, a gente fala um para o outro, falo: olha quando você quiser vir você tem minha casa, minha casa é sua casa, foi meu grande parceiro, ele Lidi Lisboa, gravou muito comigo também, foram parceiros que não tenho palavras para falar dessa pessoas, pela forma como eles cuidaram de mim me aturaram em dias que eu não estava legal, enfim, e contracenaram comigo, se doaram.

E por falar em Pedro, o português também está se divertindo ao viver o mocinho Miguel. Ele disse um pouco mais sobre seu personagem:

- O Miguel é um português que chega a Vila de São Salvador com um segredo muito grande, um mistério muito relevante, que ninguém vai perceber muito bem e quando eu chegar a Vila vai despertar a atenção de todos, principalmente as mulheres que ficam comentando muito o fato de eu ser muito misteriosos, ser estrangeiro, mas eu não vou dar bola para ninguém até que eu me apaixono, em uma cena muito bonita, em uma cachoeira muito bonita, por uma escrava, que é a Juliana e vai ser amor à primeira vista e vai ser um amor muito controverso, porque a Maria Isabel vai ficar completamente obcecada, completamente louca por ele e vai fazer de tudo para tirar Juliana do caminho do Miguel, existem pessoas do mal que vão tentar destruir esse amor tão bonito, mas é uma história tão bonita, um amor tão romântico, que eu acho que todo mundo em casa vai torcer muito para o Miguel e a Juliana ficarem juntos no final.

E para quem pensa que o galã é um iniciante, está bem enganado! Ele já fez, nada mais nada menos que 12 novelas em Portugal, uma delas inclusive o ator está no ar, no horário das sete, aonde ele vive um também mocinho protagonista. Mas mesmo bem-sucedido em sua terra Natal ele sonha:

- Aqui no Brasil é minha primeira novela e eu espero que seja a primeira de muitas, porque eu adoraria, depois de Escrava Mãe fazer muitas outras aqui. É incrível, eu já queria muito aliás, todos nós portugueses queremos fazer novela aqui e quando esse convite, por conta do meu currículo de fazer muita novela lá, de já ter feito uma que foi muito grande lá, a Record quando me escolheu para fazer esse personagem eu fiquei muito grato e é uma responsabilidade muito grande também, que eu espero estar à altura e eu acho que sim. Para mim é um sonho tornando realidade e agora a expectativa é maior e eu espero que depois dessa novela surjam mais convites aqui, fazer carreira entre Portugal e Brasil seria um sonho tornando realidade.

Para viver o personagem Pedro teve que ter uma preparação e tanto, mesmo mantendo o charmoso sotaque, o belo teve que aprimorar a fala:

- Foi uma preparação que levou tempo, foi trabalhosa, muito prazerosa também, porque eu tive muito apoio de toda a equipe, do Ivan (Zettel, diretor geral), de todos os diretores e que me ajudaram a construir esse personagem, primeiro, porque eu não pude falar um português de Portugal se não vocês não me entenderiam, eu tive que ter algumas aulas de fonoaudiologia para acentuar um pouco o sotaque. Então tinha que fazer esse trabalho todo para que não desvirtuasse o português de Portugal, mas que as pessoas em casa conseguissem entender e sair como se parecesse muito natural, esse foi o grande desafio, que a essa altura se tornou muito orgânico no personagem e também o fato de ser um personagem de época, ser muito visceral, é mocinho, mas é muito aventureiro, é um Indiana Jones, é um Clark Kent, ele é um mocinho que acontece muita coisa com ele, isso é muito interessante para mim como ator e foi um desafio muito grande, então foi muito bacana construir esse personagem. Depois a forma como ele se comportava, porque eu venho de uma família com dinheiro, mas tem que aparentar não ter dinheiro, para não levantar suspeitas, então foi um desafio. É um personagem muito rico, muito rico mesmo.

O ator, inclusive, já está apaixonado pelo Brasil e contou que assiste e acompanha as novelas brasileiras:

- Incrível, eu fiz família aqui, olha eu me mudaria, eu amo Portugal, mas eu fiquei muito apaixonado pelo Brasil, pela cultura, pela gastronomia, o samba no pé, o forró, o sertanejo que eu não conhecida e fiquei muito fã e adoraria no final dessa novela que surgissem outras propostas para fazer outras novelas aqui. Sempre, muitas novelas. Eu lembro muito de Vamp, Rei do Gado, Amor à Vida, do Walcyr (Carrasco), fiquei fã agora do trabalho do Gustavo (Reiz, autor na novela). Então eu amei já acompanhava a muito tempo, há muitos anos as novelas brasileiras, nós lá temos muito hábito de ver novelas brasileiras.

Mas como será que Pedro conseguiu ser escolhido para a trama? Ele contou, dizendo:

- A Record esteve durante muito tempo pesquisando atores português para fazer esse projeto, estiveram procurando um galã que fosse português dos 23 aos 37 anos e aí foi incrível que a proposta caiu sobre mim, depois de analisarem muita gente, por conta do meu currículo, porque já ganhei prêmios lá de TV, já fiz muita coisa, cinema, teatro, acho que foi um pouco sobre isso, eles pensaram que eu seria a pessoa adequada e eu fiquei muito agradecido e espero que seja o início de uma trilha muito bacana aqui no Brasil.