Professora capixaba emagrece quase 50 kg e se casa com personal que a ajudou

Entretenimento

Professora capixaba emagrece quase 50 kg e se casa com personal que a ajudou

A capixaba treinava duas vezes por dia para acelerar o emagrecimento e teve que eliminar praticamente tudo o que gostava do cardápio. Ela posta dicas em seu Instagram para ajudar outras pessoas

Angela chegou a pesar 116 kg e atualmente fica entre os 68 e 71kg Foto: Reprodução/Instagram

Uma história de amor, dedicação e superação. Uma professora capixaba que mora em Aracruz, no Espírito Santo, decidiu mudar seus hábitos alimentares e conseguiu emagrecer 48 kg em dez meses. Angela Tonon tem 26 anos e chegou a pesar quase 120 kg. 

Angela se casou com Maicon após começar as aulas na academia dele Foto: Reprodução/Instagram

Além da mudança física, a felicidade não parou por aí. Ao começar a frequentar academia, Angela acabou se apaixonando pelo personal Maicon Alexandro da Silva, que a ajudou. Os dois acabaram se casando. “Emagreci 48 kg e ainda me casei com aquele que me incentivou a todo momento. Um dia quando fui levar meus alunos a um torneio em um ginásio na cidade, lembrei que lá tinha uma academia, e resolvi conhecer. O personal foi muito simpático, me tratou super bem, então resolvi voltar e começar no outro dia. Casar com um personal me fez criar ainda mais amor por tudo isso”, contou. 

'Muitos duvidavam que eu conseguiria e até eu cheguei a duvidar. Hoje sou ainda mais feliz'

Com um histórico de obesidade na família, o hábito de comer doces, alimentos  gordurosos e lanches sempre foi comum. “Toda a minha família é acima do peso. Eu era gordinha desde a infância. Hábitos da família eram frituras, massas e lanches fora de hora. Meu pai é diabético e hipertenso. Não havia preocupação com alimentação saudável e a única comida mais saudável era o tomate. Não comia nenhuma verdura”. 

Chegou uma hora em que ela sentiu a necessidade de mudar. “Eu já fui obesa mórbida e pesei mais de 116 kg. Resolvi dar um basta nisso. Quando cheguei aos 99 kg resolvi engordar um pouco mais para me encaixar no perfil de cirurgia bariátrica. Alcancei o peso desejado, fiz os exames para a cirurgia, mas desisti e resolvi emagrecer com reeducação alimentar”. 

Angela tentou várias dietas e chegou a tomar remédio para eliminar os quilos indesejados, mas o que realmente a ajudou foi tirar alguns alimentos do cardápio. “Já tinha tentado emagrecer inúmeras vezes. Tentei todas as dietas que existiam. Emagrecia e logo em seguida engordava o dobro. Tomei remédio uma única vez, mas foi por menos de um mês. Não gosto de remédios e tenho problema em seguir horário de medicação”, contou. 

Atualmente com 68 kg, a capixaba contou que decidiu mudar quando os incômodos do cotidiano passaram a deixar situações simples, muito difíceis. “Um exemplo é a dificuldade em encontrar roupas. Era discriminada e conhecida como a ‘Gorda’ do rosto bonito e isso me deixava muito triste. Receber o elogio de alguém e ao mesmo tempo ser criticada. Ouvia ‘você tem um rosto tão lindo, podia emagrecer”. 

Muitas pessoas se perguntam como fica o corpo de pessoas que emagrecem após a perda de peso. “Eu emagreci quase 50 kg e consequência disso foi a flacidez em algumas partes do corpo. Na barriga não foi diferente. A pele deu uma ‘pendurada’ e o umbigo também, mas isso não me incomoda em nada. Uso bermudinhas mais altas para disfarçar”. 

A capixaba treinava duas vezes por dia para acelerar o emagrecimento. “Comecei com caminhadas na rua e exercícios em casa mesmo. Depois de um tempo me matriculei na academia, no início, fazia só exercícios aeróbicos, mas todos os exercícios são válidos. Suba e desça escadas, dê voltas no quarteirão, etc. O que não pode é parar”, disse. 

Angela contou que chegou a ficar desacreditada, mas atualmente, está muito feliz e focada. “Comecei a praticar exercícios diariamente, e com muito esforço, garra e determinação, em menos de um ano, alcancei o meu objetivo de perda de peso. Muitos duvidavam que eu conseguiria e até eu cheguei a duvidar. Hoje sou ainda mais feliz.”

Uma dica para não desanimar é a corda. “A corda tem sido minha aliada na perda de peso. Se bate desânimo, já pego uma corda e logo a vontade de aprender mais chega”.

Com o objetivo de ajudar outras pessoas, a capixaba posta diariamente dicas em seu perfil no Instagram. Para incentivar outras pessoas que estão ‘lutando’ contra a temida balança, Angela deixa um conselho. “A mensagem que quero passar é que nunca desista dos seus sonhos. Você é capaz de tudo que deseja, basta querer!”. 

Outra história de superação

Camila ganhou o bolão duas vezes Foto: Divulgação

Quem disse que ginástica é para os fracos? A professora Juliana Lunz, que dá aula em uma academia em Campo Grande, no município de Cariacica, decidiu inovar e encontrou um jeito de incentivar ainda mais as pessoas que querem perder peso. 

Leia a matéria completa!

Ela criou um ‘ bolão’, que é chamado de ‘Desafio do Emagrecimento’. O desafio consiste na medição de gordura todas as sextas-feiras por dois meses. Cada pessoa que estiver participando deve depositar em uma caixinha o valor de R$ 2. Quem perder mais gordura no fim desse período leva o valor total arrecadado. No último desafio, o primeiro lugar levou para casa a caixinha com todo o dinheiro, e o segundo ganhou uma mensalidade da academia. “O bolão é para motivar os alunos a conseguirem o que eles querem”, diz Juliana.

Com muita paixão pela ginástica, a professora trabalha na mesma academia há dez anos. “A minha paixão sempre foi pela ginástica. Comecei a atuar na área com 19 anos. Estou há dez anos aqui e atuo na área há 20 anos". 

Como um exemplo de superação de limites, Camila Cassaro Galvão, que tem 26 anos e é administradora, perdeu 53 kg em um ano e dois meses de muita ginástica, acompanhamento e o principal: força de vontade. “No começo foi perturbador, mas eu consegui. Eu tinha 118 kg e atualmente estou com 65 kg. Tive acompanhamento com a nutricionista e comecei a fazer a ginástica de segunda à sexta, em média, uma hora por dia”. 

Como um dos incentivos, Camila ganhou dois bolões e ainda conseguiu o que queria. “Ganhei o bolão duas vezes. A opção da cirurgia é a última. Acho que todo mundo pode conseguir o que quer, o problema é que as pessoas querem resultado rápido e por isso, na maioria das vezes, optam pela cirurgia e remédio, mas nunca foi uma opção para mim”.