Lady Gaga, Maroon 5 e outros artistas escrevem carta criticando YouTube

Entretenimento

Lady Gaga, Maroon 5 e outros artistas escrevem carta criticando YouTube

Redação Folha Vitória

-

Hoje em dia, o consumo de músicas, livros, séries e filmes é feito, quase que exclusivamente, por meio da internet. Plataformas de streaming se adaptaram ao mundo digital e oferecem seus conteúdos online e, muitas vezes, pagos. Porém, serviços como o YouTube, que disponibiliza vídeos de forma gratuita, estão chamando a atenção de artistas, que alegam não estarem recebendo o suficiente em troca ou parte dos lucros.

Segundo informações da Billboard, mais de mil músicos, incluindo, Paul McCartney, Lady Gaga, Ed Sheeran e Maroon 5 assinaram uma carta direcionada ao presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, pedindo que resolvam a diferença de valor existente entre o consumo de música digital e o dinheiro que está voltando de serviços voltados para usuários, como o YouTube.

Em um trecho da carta está escrito o seguinte:

Este é um momento essencial para a música. O consumo está explodindo. Fãs estão ouvindo mais música agora do que nunca antes. Consumidores possuem oportunidades sem precedentes para acessar a música amam, quando e como eles quiserem. Mas o futuro está prejudicado por essa chamada diferença de valor causada por usuários de upload como o YouTube, do Google, que está injustamente desviando o valor da comunidade dos músicos, dos artistas e dos compositores.

Duas semanas atrás o YouTube respondeu as críticas de artistas como Trent Reznor e Nikki Six que estavam falando sobre o mesmo assunto da carta e ainda alegando que, em vídeos postados por fãs, apenas a plataforma consegue lucrar e este dinheiro nunca é repassado para o artista. Como resposta, a plataforma informou que 50 por cento da receita deles vem de conteúdo postado por fãs:

Qualquer afirmação de que grande parte deste conteúdo não é licenciada é falsa. Para datar, nós pagamos mais de três bilhões de dólares para a indústria da música - e este número está crescendo a cada ano, dizia o comunicado.

Já não é a primeira vez que o assunto está em pauta. Há muitas críticas envolvendo também a Digital Millennium Copyright Act (DMCA), que cuida justamente dos direitos autorais. Quem já brigou bastante com serviços de streaming foi Taylor Swift.