Gêmeos capixabas que encararam a Segunda Guerra Mundial fazem ensaio emocionante

Entretenimento

Gêmeos capixabas que encararam a Segunda Guerra Mundial fazem ensaio emocionante

Eles têm o mesmo nome e eram identificados durante a guerra como Zé 1 e Zé 2. Ao ficar sabendo da história, a fotógrafa Camila Lima convidou para a realização de mais um ensaio incrível

Os gêmeos completam 97 anos em agosto Foto: Camila Lima

"Eles são gêmeos idênticos, tem o mesmo nome e foram juntos para a 2º Guerra Mundial. Zé 1, pelo exército, e Zé 2, pela aeronáutica, fazem 97 anos em agosto. Com vocês, os irmãos José's". Essa é a apresentação de mais um ensaio fotográfico daqueles que a gente olha e fica hipnotizado pela história e pelas imagens.

A responsável pelo ensaio é a fotógrafa Camila Lima, que também fez as fotos do aniversário de 100 anos das gêmeas Maria e Paulina. Ela ficou sabendo da história dos gêmeos por um amigo, que é neto deles, e fez o convite para a realização do ensaio.

Veja a galeria com as fotos do ensaio!

Na profissão há oito anos, ela conta que sempre fotografa casamentos e aniversários e fazer ensaios com idosos é uma opção para sair da rotina. "Estas fotos especiais me fazem voltar a fotografar por hobbie. Os idosos são carentes de atenção e não se cansam. Por eles, ficariam a tarde toda fotografando", diz.

Eles participaram juntos da 2ª Guerra Mundial Foto: Camila Lima

A fotógrafa ainda relata que a ideia era fazer um ensaio externo e bem colorido, mas a chuva que caiu no dia marcado fez com que houvesse mudanças nos planos. "Cada idoso tem uma limitação e neste dia choveu muito, por isso preferi fazer as imagens dentro de casa para evitar qualquer acidente", conta.

Da mesma forma que aconteceu com o ensaio das gêmeas, as fotos dos "Zé's" receberam uma grande repercussão nas redes sociais. Camila postou as imagens na terça-feira (27) e cerca de 15 horas depois, a publicação já somava mais de 4,4 mil reações. "Não esperava essa repercussão em nenhum dos casos. Os idosos são fofinhos e são irmãos. Acredito que seja por isso que as pessoas se identificam", relata.