• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Evan Rachel Wood critica declaração de Ben Affleck

Entretenimento

Evan Rachel Wood critica declaração de Ben Affleck

Ao ser informada que os comentários de Ben Affleck foram de 20 anos atrás, a atriz replicou: "Eu tenho certeza que ele tentou ser engraçado, mas mesmo piadas assim causam danos."

A atriz Evan Rachel Wood foi ao Twitter criticar declarações antigas do seu colega ator Ben Affleck, de que beijo gay em cena seria o "maior desafio" para o ator.

Esta semana, o diretor Kevin Smith, que trabalhou com Affleck em Procura-se Amy (1997), revelou durante um evento LGBT que, na época das filmagens, o ator teria feito o seguinte comentário sobre a cena em que beija Jason Lewis no filme. "Um homem beijando outro homem é o maior desafio de atuação que um ator pode encarar", teria dito Ben Affleck na época. "Agora sou um ator sério."

Respondendo na terça-feira, 18, à publicação no Twitter da Paper Magazine com as tais declarações de Ben Affleck, Evan Rachel Wood disse: "Tente ser estuprado em uma cena. Além disso, cresça, Ben."

Ao ser informada que os comentários de Ben Affleck foram de 20 anos atrás, a atriz replicou: "Eu tenho certeza que ele tentou ser engraçado, mas mesmo piadas assim causam danos." Além disso, a atriz criticou um pouco mais os comentários de Affleck. "Você acha que nós, mulheres, gostamos de beijar todos os caras que beijamos (em cena)? Só porque é um 'beijo hétero', não significa que nós gostamos."

Por fim, para responder a um usuário que disse que Wood deveria ser estuprada na vida real, a atriz declarou abertamente: "Eu fui estuprada e falai publicamente sobre isso ano passado. Talvez você não devesse jogar pedras no telhado de vidro."

Nesta quarta, a atriz de Westworld resolveu apagar todos os seus tweets sobre o caso por conta de comentários maldosos que recebeu. "Eu deletei a sequência por conta de coisas doentias que as pessoas escreveram em resposta. Eu não quero dar lugar para este tipo de ódio."