• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Pabllo Vittar entrega como foi beijar Diplo em clipe: - Parecia que eu estava comendo jambo

Entretenimento

Pabllo Vittar entrega como foi beijar Diplo em clipe: - Parecia que eu estava comendo jambo

Pabllo Vittar é a capa da revista Paper de agosto e foi entrevistada pela cantora Charli XCX. Na conversa, ela falou bastante sobre a sua representatividade no meio LGBTQ+, ressaltando que não foi fácil chegar até aqui:

- Foi muito difícil no começo. Eu sempre sonhei em performar, estar em um palco, cantar, atuar e fazer arte, mas ao mesmo tempo eu não tinha muita esperança por causa de todo o bullying que eu tinha passado. As pessoas na escola disseram que eu nunca seria alguém, e por muito tempo na minha vida, eu acreditei nisso. Mas quando você tem seus pais, sua família e amigos te apoiando, tudo fica mais fácil. Eu me sinto abençoado por ter pessoas tão boas ao meu redor. É ótimo representar minha comunidade de uma maneira tão grande, e nós vivemos no momento mais difícil de todos os tempos, e representar essa comunidade dá força não apenas para meus fãs, mas também para mim, para continuar fazendo o trabalho que fazemos, o que é muito importante. Fazer isso traz uma mensagem tão importante para crianças e adolescentes que sofrem com bullying como eu quando estava com essa idade.

Pabllo também falou sobre um dos pontos positivos em ser uma drag queen:

- Toda vez que eu me monto, eu me sinto totalmente diferente. Drag é isso. Toda vez que você se monta, você pode ser uma pessoa diferente. Por exemplo, hoje eu tenho cabelo rosa, parecendo muito Kylie Jenner. Mas toda vez que eu me monto, tento fazer o meu melhor e fazer todo mundo feliz.

E entregou como foi beijar Diplo no clipe de Então Vai (Get By):

- Do meu ponto de vista, a boca de Diplo e a minha deveriam estar juntas. Seus lábios são doces e macios, parecia que eu estava comendo jambo, que é uma fruta muito doce e deliciosa do Brasil. Eu não tenho palavras. Eu acho que ele tem uma queda por mim, e eu também tenho uma queda por ele. Eu estava em Los Angeles gravando meu novo álbum, mas ele não estava lá. Isso foi triste. Mas respirar o mesmo ar que o meu "papai" era muito bom.

A cantora também falou sobre a colaboração que fez com Anitta e Diplo em Sua Cara:

- Eu amo muito a Anitta e o Diplo. Quando comecei, sempre quis colaborar com Anitta. E eu sempre fui um fã do Major Lazer, isso não é segredo. Eu o amei desde que comecei a fazer música, então quando tive a oportunidade de trabalhar com Anitta para o álbum de Major Lazer, foi como realizar dois sonhos ao mesmo tempo. Foi fantástico. Estava tão quente lá, mas eu iria passar por todo aquele tempo quente e eu comeria toda aquela areia novamente só para estar perto de Diplo e trabalhar com Anitta mais uma vez.

Fofa, né?

Pabllo ainda deu mais detalhes sobre o seu novo álbum:

- Vai Passar Mal [meu último álbum] é um álbum muito bom, mas é hora do próximo vir. E estou muito feliz porque as pessoas vão ouvir a mesma influência da música brasileira, do norte e nordeste do Brasil. Neste novo álbum, haverá também influências da música pop latina e internacional, e eu estou muito feliz com as pessoas que estão nele - pessoas que estão crescendo e que eu já era amiga. E estou muito animada para lançar o próximo single. Estou prestes a fazer o vídeo para ele e estou feliz com isso.

Além disso, a artista confessou que gostaria de cantar com Beyoncé, Rihanna e Demi Lovato - e disse que está pronta para fazer uma turnê fora do Brasil em 2019.

Por fim, a cantora contou qual a sua maior inspiração aqui no Brasil:

- A comunidade LGBTQ+. Os gays afeminados. Eu faço música para eles. Eles são uma parte maravilhosa da comunidade... e não apenas os gays afeminados, mas a comunidade como um todo, e nós somos uma comunidade muito forte. Isso me faz feliz por ter nascido no Brasil. Se eu pudesse ter escolhido onde nasci, eu nasceria aqui de qualquer maneira, porque as pessoas LGBTQ+ aqui no Brasil são muito fortes. Não quero dizer que a comunidade não seja forte em outros lugares, mas aqui temos um trabalho a fazer - unir as pessoas.