Sthefany Brito dá puxão de orelha em Virgínia Fonseca

Entretenimento

Sthefany Brito dá puxão de orelha em Virgínia Fonseca

Sthefany Brito ainda fez questão de citar que a comparação entre as mulheres no pós-parto não faz nada bem e não é nada saudável

Estadão Conteúdo

Redação Folha Vitória
Foto: Reprodução

Caso você não tenha visto, Virgínia Fonseca acabou mostrando em suas redes sociais como ficou a sua barriga com apenas dois meses de pós-parto, e claro, nem imaginou que receberia diversas criticas nas redes sociais. Uma delas foi de Sthefany Brito que reagiu à barriga chapada da esposa de Zé Felipe dizendo:

Mesmo não conhecendo a Virgínia, eu não acredito que tenha a real noção da dificuldade e da realidade de 99% das mulheres num pós-parto. E falo pro experiência própria. Eu sempre tive certeza que voltaria pro meu peso antes da gestação rapidinho. Ouvi muito que amamentar secava. E fiquei paranóica quando vi que a minha realidade não era essa. E eu sempre pensava: mas fulana emagreceu tão rápido. Mas ela tem o mesmo biotipo que o meu e o corpo dela já voltou. E aí vem o grande problema: eu devo estar fazendo alguma coisa errada.

A atriz continuou o desabafo nos Stories e falou:

Depois de muito tempo percebi que estava fazendo errado. Estava querendo que um corpo que levou nove meses gerando uma vida, crescendo e cedendo espaço para a coisinha mais importante desse universo, de repente voltasse pra estaca zero e fosse base pra minha autoestima que nem existia no meu pós-parto. Antes disso, eu evitava me olhar no espelho, minha barriga então... Coitada! Calcinhas super apertadas. Me enganava cada vez que amarrava um casaco na cintura pra disfarçar a barriga antes idolatrada e exibida.

Sthefany Brito ainda fez questão de citar que a comparação entre as mulheres no pós-parto não faz nada bem e não é nada saudável.

Depois de muito aceitei que tudo bem não estar bem o tempo todo e isso inclui não gostar do que vejo no espelho. Mas aprendi a ter empatia também por mim, pelo meu corpo. E tá tudo bem. Meu filho com oito meses e minha barriga parecer de quando eu estava grávida de quatro meses. Essa é a minha realidade. A pegadinha da vida é isso, é gritante na maternidade... é a comparação! A gente vê fulana plena no parto e só pensa que poderia ter ido pra maternidade maquiada também e com a unha feita. Fulana plena no pós-parto enquanto você chorava em todos os banhos e mal conseguia levantar da cama sem segurar a barriga. Fulana plena amamentando enquanto o seu peito sangrava e você chorava. Fulana plena com a barriga dela chapada enquanto a sua parecia um slime com um bebê ainda dentro.

E para finalizar, a artista cita toda a pressão que as mulheres enfrentam para suprir algumas expectativas alheias.

O julgamento aqui da internet é gigante e cruel, na maioria das vezes. Se ainda está acima do peso: nossa, mas parece que ainda tá grávida. Se está muito magra: nossa, vai sumir daqui a pouco. Cada um lida com a sua realidade. O orgulho da barriga chapada em tão pouco tempo é resultado da pressão horrorosa e cruel que nós, mulheres, carregamos a vida inteira. Que tenhamos empatia com nossos corpos tão poderosos e resilientes, e entender que a comparação é perigosa demais, já que cada um sabe onde aperta seu calo.

É, pelo visto a maternidade real é bem mais complicada, né!?