• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Clássico 'Cerro Corá' está na Mostra de Cinema Paraguaio

Entretenimento

Clássico 'Cerro Corá' está na Mostra de Cinema Paraguaio

São Paulo - O nome da primeira mostra no Brasil dedicada exclusivamente ao cinema paraguaio não poderia ser melhor: Made in Paraguai - Mostra de Cinema Paraguaio, que começou nesta quinta-feira, 11, e segue até a próxima quarta, 17, no Cine Caixa Belas Artes, com curadoria do cineasta brasileiro Marcelo Engster e do diretor e produtor paraguaio Carlos Cáceres.

Ao fazer humor com os próprios clichês que rondam o país vizinho e ao mesmo tão distante dos brasileiros, os organizadores da mostra traduzem com propriedade uma das grandes qualidades do povo paraguaio, o bom humor e a capacidade de rir de suas próprias agruras. "A primeira reação das pessoas quando falamos que estamos realizando uma mostra de cinema do Paraguai é dar risada e perguntar se existe. E respondo que não só existe como há muito filme bom. As pessoas vão se surpreender", conta uma das organizadoras, Letícia Friedrich, da Boulevard Filmes.

De fato

Apesar de estar ainda buscando seu espaço em um cenário latino e mundial competitivo, o Paraguai vem conquistando espaço nos festivais e nas salas de cinema mundiais. Um dos 11 longas que chegam para a mostra é Sete Caixas Paraguaias, de Juan Carlos Maneglia e Tana Schémbori . Premiado em festivais internacionais, o longa foi o mais visto da história do Paraguai, batendo blockbusters como Titanic.

Na segunda-feira, 15, às 19h50, a atriz Lali Gonzáles, que pelo papel foi indicado para o Goya, o ‘Oscar do cinema em língua espanhola’, conversa com o público sobre seu trabalho no filme.

Sete Caixas, aliás, é um dos símbolos do modo criativo que os cineastas paraguaios estão encontrando para viabilizar seus filmes em um país que não conta com leis de incentivo e forte política pública de apoio ao cinema. "Sempre quis fazer cinema, mas acabei na publicidade. Enquanto isso, fui escrevendo o roteiro e correndo atrás de empresas que quisessem investir no projeto", contou Maneglia ao jornal O Estado de S.Paulo.

Destaque também para a sessão de curtas seguida de debate com Carlos Cáceres, domingo, às 19h10. Em pauta, a importância dos curtas para a identidade cinematográfica do país, que, muito pela dificuldade de produção fez bom uso do formato para narrar histórias marcantes. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.