Prefeituras do ES e RJ querem adotar plano de médicos famosos para saúde

PEDRO PERMUY

Entretenimento

Prefeituras do ES e RJ querem adotar plano de médicos famosos para saúde

Thanguy Friço e Patrícia Friço publicaram sistema paradidático e vão lançar livro que fala de alimentação saudável, atividade física, qualidade de sono e controle emocional para jovens, adolescentes e famílias. Médicos também criticam “terrorismo nutricional”

Pedro Permuy

Redação Folha Vitória
Foto: Cloves Louzada
A dermatologista e pediatra Patrícia Friço e o médico ortopedista Thanguy Friço

Prefeituras do Espírito Santo e do Rio de Janeiro podem, a partir de 2022, implementar um sistema de educação paradidática elaborado por Thanguy Friço e Patrícia Friço, famoso casal de médicos capixabas. A ideia é ensinar aos jovens do 6º ao 9º ano do ensino fundamental a aprenderem a comer, saber lidar com as emoções e até a como dormir e ter qualidade de sono.

Os executivos de Linhares, Vila Velha e Jerônimo Monteiro, no Espírito Santo, e Rio Bonico e Maricá, no Rio, já marcaram reuniões e demonstraram interesse em adotar o método, que foi concluído e lançado em julho deste ano. O sistema consiste em quatro livros que abordam, respectivamente, alimentação saudável, atividade física, qualidade de sono e controle emocional.

“Nós já vamos na semana que vem ter reunião com as prefeituras de São Mateus, Nova Venécia e Serra para apresentar o projeto e estamos confiantes. As crianças vão aprender o que é dormir, o que é felicidade, como comer… As pessoas não param mais para analisar a felicidade, por exemplo, mas é super essencial e todo mundo tem que frear a ansiedade para conseguir fazer esse tipo de exercício”, opina Thanguy.

Ao contrário do que pode parecer, a ideia não é nem tão distante assim. Isso porque o casal já implementou, de forma experimental, os ensinamentos dos livros em Burarama com um grupo de cerca de 100 pessoas (incluindo não estudantes). E os resultados foram animadores. “A história de Burarama é maravilhosa, lá tudo mudou. Para você ter noção, a cidade agora tem espaço para meditação. Foi incrível como as pessoas mudaram hábitos e sustentaram tudo isso”, justifica Patrícia.

Os livros foram escritos pelos próprios médicos com uma equipe. Thanguy é ortopedista e Patrícia é dermatologista e pediatra. E com nutricionistas, psicólogos e pedagogos o material foi produzido.

“A metodologia faz parte de material paradidático. Mas nosso grande objetivo é que se torne algo curricular”, diz Thanguy. O casal de médicos também vai lançar, no próximo dia 24, o livro “Pais Saudáveis = Filhos Saudáveis”, que trata de mais ou menos o mesmo assunto. No entanto, é voltado para as famílias. “A gente percebe que é um trabalho familiar tratar esses aspectos e melhorá-los, então é importante envolver todo mundo”, reforça ele.

Nesse sentido, o médico critica a atuação do chamado “terrorismo nutricional”. Isso é quando surge na mídia, por exemplo, algum grupo de médicos ou instituto condenando algum alimento.

“Começa assim: ‘Você sabia que leite faz mal? Olha, leite faz mal!’. Então vende-se um programa sem lactose. 40% da população no Brasil tem traço de intolerância à lactose, mas 60%, não. Isso é o terrorismo nutricional. Você causa problemas para vender soluções. Comercialmente”, esclarece o ortopedista.

Foto: Cloves Louzada

Nos materiais que estão lançando, o casal aproveita a oportunidade, também, para abordar esses pontos e desvendar, em capítulos, o que pode e o que não pode na dieta, na hora de dormir, nas atividades físicas e no equilíbrio emocional.

O objetivo maior, neste primeiro momento, é educar os jovens e adolescentes. E Patrícia finaliza com um exemplo: “Uma das nossas filhas, quando exagera no doce, sabe. Ela fala: ‘Mãe, está errado, mas eu vou compensar’. Então ela come errado, sim, mas está consciente daquilo”.