Alec Baldwin é visto ao lado de viúvo e filho de diretora que morreu em set

Entretenimento

Alec Baldwin é visto ao lado de viúvo e filho de diretora que morreu em set

Alec, Matthew Hutchins e o menino de 9 anos, único filho de Halyna, foram fotografados juntos na última segunda-feira (25)

Estadão Conteúdo

Redação Folha Vitória
Foto: Reprodução / Instagram Alec Baldwin

Após o acidente com uma arma cenográfica disparada por Alec Baldwin que culminou na morte de Halyna Hutchins durante as gravações do filme Rust, o ator foi visto junto com o marido e com o filho da diretora de fotografia perto de um hotel em Novo México, nos Estados Unidos.

Alec, Matthew Hutchins e o menino de 9 anos, único filho de Halyna, foram fotografados juntos na última segunda-feira (25).

Segundo informações da CNN, o diretor assistente do filme Rust, Dave Hall, que entregou a arma cenográfica para o ator Alec Baldwin, já esteve envolvido em outro acidente em set de filmagens, quando um membro da equipe foi ferido.

A empresa Rocket Soul Studios disse à TV que, em 2019, Dave atuou como assistente de direção do filme Freedom´s Path. Na ocasião, uma arma disparou e fez com que a produção do longa fosse interrompida. Depois disso, Dave deixou o set e foi demitido da produção:

Halls foi removido do set imediatamente após o disparo da arma cenográfica. A produção não foi retomada até que Dave estivesse fora do local. Um relatório de incidente foi recolhido e arquivado naquela época. 

Ao encerrar a produção do dia, Dave Halls foi oficialmente demitido e os motivos específicos para a demissão foram dados a ele. Dave estava muito arrependido pelos eventos e entendeu os motivos de sua rescisão. Um novo diretor assistente, bem como um novo armeiro, foram contratados para fazerem a fotografia principal. A produção do filme terminou com sucesso.

E não para por aí. Ireland Baldwin, filha de Alec, usou o Instagram para rebater comentários feitos pela apresentadora Candice Owens, que chamou o ator de assassino. 

No Twitter, Candice escreveu:

Alec Baldwin passou quatro anos se dedicando a pintar Donald Trump e seus apoiadores como assassinos do mal. O que aconteceu com Alec seria um exemplo de justiça poética se não fosse pelos próprios inocentes que foram assassinados por ele. Ore por suas famílias. Tão triste.

Ireland, então, usou o Stories na última segunda-feira para responder sobre o assunto:

"Você é o ser humano mais nojento, odioso e canceroso que já conheci. Independentemente de suas opiniões sujas na maioria das vezes, o fato de que você desrespeitaria a vida de uma mulher que foi morta acidental e tragicamente... 

Que vergonha. Sim, vou prosseguir e fazer uma pausa no Instagram. Tenho vergonha de respirar o mesmo ar que esta mulher. (...) A vida de uma mulher foi perdida. Seus tweets, falta de informação e ignorância estão prejudicando as pessoas".

Por fim, ela ainda afirma:

Eu respeito a opinião das pessoas, mas se você apoia esses palhaços absolutos, por favor, não me siga mais. Eu imploro. Se você simplesmente não respeita as pessoas, deixe de me seguir. 

É tão simples. Pare de me seguir se você não apoia os direitos das mulheres. Pare de me seguir se você não suporta direito trans. Direitos LGBTQ como um todo. Direitos humanos. Mas realmente aperte o botão de parar de seguir se você está tentando difamar meu pai e tweetar essas declarações horríveis sobre esta situação trágica. Parte meu coração que as pessoas sejam tão odiosas e ignorantes.