Laura Muller, sexóloga do Altas Horas, admite que não é perfeita na cama: - Não sou uma mulher maravilha

Entretenimento

Laura Muller, sexóloga do Altas Horas, admite que não é perfeita na cama: - Não sou uma mulher maravilha

Redação Folha Vitória

-

Laura Muller, sexóloga do Altas Horas há 11 anos, vive respondendo sobre a intimidade alheia, mas nunca sobre a sua. Em entrevista ao jornal Extra, a artista abriu o jogo sobre as cantadas que recebe e confessou que recebia muitos nudes em suas redes sociais.

- Acontece muito no programa e nas redes sociais. Tenho a compreensão de que por estar na TV falando sobre sexualidade, esclarecendo dúvidas, isso gera uma fantasia. Povoa na imaginação das pessoas que o educador sexual sabe tudo sobre sexo, é uma maravilha na cama. Isso não é verdade. Sexólogos são homens ou mulheres como as outras pessoas, com erros, acertos, limites. A gente trabalha com isso, mas não quer dizer que seja excepcional. Pelas redes sociais, chegavam nudes, filminhos... Mas fechei meus inbox. Muitos querem tirar dúvidas do pênis torto, da vagina não sei o quê. Não dá, não sou médica, não posso fazer esse tipo de avaliação.

Ela também afirmou que não é perfeita na cama.

- Não sou uma mulher maravilha na cama. Sou uma mulher como outra qualquer. Não existe perfeição. Isso é mito. O importante é estar em busca de ser o melhor possível, mas falhas acontecem com todo mundo.

Solteira aos 47 anos de idade, Laura ainda falou sobre ter ou não algum tipo de relacionamento amoroso com fãs.

- Não, e nunca cogitei essa possibilidade. O público do Altas Horas é jovem e eu não sou novinha. Me relaciono com pessoas da minha faixa de idade. Adolescente não dá. Estou no mundo adulto e sou uma adulta já madura. Não tem como sequer pensar em me relacionar com um adolescente. Quando surge uma cantada desse tipo, sempre esclareço que é cada um na sua praia. Adolescentes com adolescentes, adultos com adultos.

A sexóloga também deixou claro que não pensa em ter um programa próprio - pelo menos por enquanto.

- O Altas Horas já está de bom tamanho. Enquanto eu estiver no programa, não vou pensar nisso.