• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Folha Vitória viu: confira a crítica do filme “Caçada Mortal”

Entretenimento

Folha Vitória viu: confira a crítica do filme “Caçada Mortal”

Ator já estrelou filmes como "Busca implacável", "A perseguição" e "Sem escalas". Trama, que estreou na última semana, lembra thrillers dos anos 1970

Ator foi indicado ao Oscar em 1994 por "A Lista de Schindler" Foto: Divulgação

Breve sinopse: um ex-policial aposentado que trabalha como investigador privado aceita ajudar um traficante de drogas que está atrás do homem que sequestrou e matou sua esposa. Ao aprofundar o caso, ele descobre que esse não é o primeiro crime do(s) procurado(s).

Com uma história instigante, “Caçada Mortal” (tradução brasileira de "A Walk Among the Tombstones") consegue ser um filme acima da média e fugir dos clássicos clichês do suspense.

A direção é segura e mistura muita tensão e adrenalina (psicológica). O bom desempenho de Liam Neeson garante à trama um ritmo envolvente. 

O diretor, Scott Frank, fez uma bela condução e escreveu um bom roteiro. Ele manteve o andamento calmo do filme, sem se preocupar com cenas muito empolgantes ou que abusassem de violência gratuita.

Com doses de traições, reviravoltas e violência seca, o longa deixa incomodado quem assiste. Os vilões, mesmo que caricatos, são daqueles que temos raiva e torcemos com toda vontade para que sejam punidos no final.

O compasso desacelerado, a fotografia acinzentada e as investigações minuciosas valorizam o mistério da trama.

Avaliação final: o filme é bom, consegue prender o espectador e surpreende com seu enredo. Trata-se de entretenimento de qualidade e vale a pena a ida ao cinema. Numa escala de e 0 a 5, “Caçada Mortal” leva 4,0. 

Assista o trailer: