Um mês após agressão no Morro do Moreno, corredora muda cenário de treinos e encara desafio de 80km  

O dia 06 de outubro vai ficar marcado na memória de Rita Cássia Araújo. Um mês após ter sido agredida com uma paulada na cabeça enquanto treinava no Morro do Moreno, a ultramaratonista ainda sente dores de cabeça, apesar dos exames de ressonância não terem apontado seqüelas graves.

photo_5-3
Rita recebendo os primeiros atendimentos médicos

O abalo emocional ainda a impede de voltar ao local que era o principal cenário de seus treinos. “Eu não fui mais lá. Dez dias depois da agressão, um grupo de amigos me convidou para ir e eu até tentei, mas não consegui subir. Fiquei com medo e comecei a chorar. Mas eu vou conseguir voltar. Eu preciso superar esse medo”.

O ataque à Rita adiou em dez dias os treinamentos para o Desafio das Serras, que ela encara nos dias 28 e 29 de novembro, na cidade de Ubatuba, em São Paulo. Ao lado do companheiro de equipe, Leonardo Seabra, ela vai percorrer, em dois dias, um percurso de 80km formado por estradas e trilhas em mata fechada na Serra do Mar.

A expectativa da corredora para a primeira prova após o ataque é a melhor possível! “Já recuperei o tempo perdido. Meu treinador, Carlos Gusmão, trabalhou o meu psicológico e já me sinto preparada fisicamente para o desafio. Estou confiante e acho que pode rolar até um pódio”, avalia Rita.

Enquanto se recupera emocionalmente, o treino de Rita só mudou de endereço. “Estou subindo o Convento da Penha durante a semana e nos finais de semana vou para as montanhas de Venda Nova do Imigrante e Viana. Mas depois do Desafio eu volto para o Moreno”.

Rita de Cássia e Gusmão
Rita com o treinador Carlos Gusmão nas montanhas capixabas

A corredora registrou o boletim de ocorrência, mas o suspeito do crime não foi localizado pela polícia. “Foi tudo muito rápido e não sei se eu reconheceria o agressor. Só me lembro das pernas dele”. Na ocasião, a Polícia Militar do Espírito Santo emitiu um alerta e pediu aos atletas que não fossem sozinhos ao local.

O caso gerou comoção entre os corredores nas redes sociais e Rita de Cássia recebeu centenas de mensagens de apoio. “Muita gente me passou palavras de conforto. Em outubro, corri 6 horas no Desafio Solidário da Serra para arrecadar leite em pó e muita gente que eu nem conhecia veio falar comigo. O ataque me acendeu um alerta, pois eu não tinha medo de nada. Hoje estou mais cautelosa”.

Morro do Moreno
Foto: Welder Inácio

Corredores perceberam reforço no policiamento
Logo após o ataque à Rita de Cássia, os corredores perceberam um aumento no policiamento na região do Morro do Moreno. “Vi muitos policiais por lá, inclusive no topo, na semana seguinte à agressão. Depois, comecei a ver apenas rodando o morro e subindo até uns 500 metros da entrada e voltando. Hoje cheguei lá por volta das 6h30 e passou uma viatura por mim, subindo, foi até o final das casas e retornou”, conta o ultramaratonista Welder Inácio, que faz treinos freqüentes no local.

Área de conservação ambiental em Vila Velha
A Prefeitura de Vila Velha tem até o final do ano para enquadrar o Morro do Moreno em uma unidade de conservação
. Enquanto isso, o órgão está realizando vários debates com a sociedade. “Ele pode ser enquadrado como Monumento Natural, Parque Natural ou Reserva Particular Natural. Mas antes, de ser enquadrado teremos que discutir o diagnóstico ambiental com a sociedade. Vamos ouvir o Conselho de Turismo, Conselho de Cultura, Conselho de Meio Ambiente, o de Desportistas, a APA da Lagoa Grande, Conselho de Jacarenema, Conselho do Penedo e Manteigueira. A ideia é fazer um amplo debate em torno do assunto”, explicou a coordenadora de Recursos Naturais da Secretaria de Desenvolvimento Sustentável de Vila Velha, Maria Cândida Ramos Donatelli.

Morro do Moreno se recupera de incêndio
O Morro do Moreno, um dos pontos turísticos mais famosos de Vila Velha, está se recuperando de um incêndio ocorrido no final do mês de outubro. Na ocasião, uma área de preservação permanente estimada em 25m² foi queimada e as causas desse incêndio ainda não foram identificadas pela perícia.

Confira as fotos feitas pelos corredores Welder Inácio e Christian Rosa durante treino na manhã desta 6ª feira:

One Reply to “Um mês após agressão no Morro do Moreno, corredora muda cenário de treinos e encara desafio de 80km  ”

Leave a Reply

Your email address will not be published.