O que a fisiologia diz sobre correr de máscara?

O uso de máscara para correr é o assunto do momento. O blog Corrida de Rua hoje reposta um texto do professor e fisiologista Valdir Braga, escritor de “O Cérebro do Maratonista”.

O que a fisiologia diz sobre correr de máscara?

Em tempos de pandemia, o uso de máscaras e o distanciamento social têm se mostrado como medidas efetivas para evitar a disseminação em massa do coronavírus. Mas e quando o assunto é correr?🤔

Essa questão tem deixado os corredores (e cientistas) em dúvida quanto à efetividade do uso de máscaras na prática esportiva. Do ponto de vista fisiológico, especialmente em atividades de alta intensidade, o uso de máscara não só deixa de ser efetivo devido à umidade, como induz à alterações fisiológicas que são prejudiciais à atividade.

Durante o exercício de alta intensidade, a frequência respiratória aumenta muito, aumentando a utilização de oxigênio e, consequentemente, a eliminação de CO2 (parte desse processo é justamente para eliminar ácidos do organismo).

Entretanto, com a máscara (e depende do material que a máscara é feita), o CO2 pode não ser eliminado de maneira adequada, podendo, em casos extremos, levar a uma acidose respiratória. Além disso, o próprio CO2 é um potente estimulador do centro respiratório no cérebro, levando o atleta a aumentar ainda mais a frequência respiratória, diminuindo a performance.

Portanto, DO PONTO DE VISTA FISIOLÓGICO, o uso de máscaras na corrida deve ser limitado apenas aos exercícios de baixa intensidade (Z1-Z2). Se a lei da sua cidade determina o uso obrigatório de máscara, obedeça as regras”.

8 Replies to “O que a fisiologia diz sobre correr de máscara?

    1. Esqueceu de falar que o aumento do consumo de oxigênio e a diminuição da entrada de ar gera Hipoxia que, por sua vez, gera aumento exagerado da frequência cardíaca e pressão arterial aumentando o risco de desmaios e até infarto ou derrame durante o exercício.

  1. Ontem pela manhã fiz uma caminhada vigorosa usando máscara….e fiquei o resto do dia me sentindo super cansado….Domingo que vem vou sem máscara bem cedinho para ver se sentirei difernça na disposição física no resto do dia….

  2. Nos dias em que eu corri utilizando mascara, mesmo em baixa intensidade, senti meu corpo super pesado e tive que alternar entre trechos com corridas e caminhadas.

  3. Olá, existem agora as mascaras de neoprene com válvulas e filtro de feltro ou silicone, pergunto: estas mascaras protegem coletivamente ou apenas o usuário.

  4. A hipoxia a falta de oxigenacao entre outros efeitos colaterais fisiológicos são uma consequência de usar a máscara para exercícios aeróbicos intensos, ao contrária da neuroplasricidade o pulmão não trabalha bem a demanda respiratória com máscara e n existe a questão de adaptação do pulmão,em tempo de pandemia temos que repensar em exercícios menos intensos e prevenir tonturas enjoos e desmaio.

  5. Eu, desde que voltei a correr, tenho usado máscara. Isso é questão de adaptação, eu me adaptei a de TNT. Minha performance tem evoluído!

  6. A realidade é que, quem trabalha de atrás de uma mesa, tem uma relação totalmente diferente com a mascara, do que quem o trabalho exige mais do condicionamento fisico.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *