Maratona de Londres adota medidas para sucesso da prova em outubro

A organização da Maratona de Londres revelou algumas das medidas que vai tomar para que nada falhe no dia 4 de outubro.

Tendo como foco a segurança dos atletas que vão participar da prova, talvez a principal deste ano, a organização revelou que Kipchoge, Bekele e companhia terão de realizar um teste Covid-19 antes de deixarem os seus respectivos países, mas também quando chegarem ao hotel, em Londres.

Prova será disputada apenas pela elite

A Maratona de Londres contará apenas com a elite mundial. No masculino, terá o duelo Eliud Kipchoge (Quênia) e Kenenisa Bekele (Etiópia), os únicos homens a correr a maratona em menos de 2h02 (2h01m39 e 2h01m41, respetivamente). O queniano, recordista do mundo da distância, procura alcançar a quinta vitória na prova, um recorde na história da competição. Kipchoge tem 11 triunfos em 12 maratonas…

No feminino, destaque para Ruth Chepngetich, recordista do mundo da distância, mas também para duas atletas portuguesas, Sara Catarina Ribeiro e Carla Salomé Rocha.

A unidade hoteleira escolhida, localizada nos subúrbios de Londres, apresenta 16 hectares de terreno, permitindo, desse modo, que os atletas consigam fazer a sua preparação sem problemas.

“É nosso dever e responsabilidade garantir que esse evento seja seguro. Analisamos outros exemplos e temos aprendido lições de outros desportos que já regressaram, o que fez com que tenhamos desenvolvido os nossos planos de segurança médica, garante o diretor da Maratona de Londres, Hugh Brasher.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *