Desculpe. Mas hoje eu preciso falar de Flamengo

Domingo à tarde na Grande Vitória. Uma edição de Brasileiro incrível e emocionante. As cores vermelha e preta em  todos os lados e… um ‘cheirinho de hepta no ar.’ Um Kléber Andrade tomado por um mar rubro-negro. Torcedores em êxtase, entoando a “alegria de ser rubro-negro”. Seria uma tarde incrível: de virada, o Flamengo venceria e seguiria firme na caça ao líder Palmeiras. Sete jogos e sete vitórias no Kléber Andrade.

Anos atrás esse cenário seria inimaginável no Estado e hoje, em 2016, o capixaba vive essa realidade.

“Não é mole não , no Espírito Santo, ninguém ganha do Mengão”
Com o grito da torcida e nas palmas inflamadas da nação, o Flamengo venceu o Cruzeiro de virada, por  2 a 1 . Se dentro de campo o vice-líder do campeonato passou sufoco, a torcida capixaba fez a diferença. Nas arquibancadas do Klebão, pessoas com diferentes realidades, unidas por uma mesma paixão: o Clube de Regatas do Flamengo.

A torcida definitivamente foi  protagonista desta festa.

E valia de tudo para ver o Flamengo. O vendedor Jeremias Souza, torcedor fanático, contou: “Eu precisava  trabalhar e esquematizei de vender no Kleber Andrade para ver a partida. Vi quase todos os jogos do Flamengo aqui. Às vezes dou uma espiada no campo. É emocionante tudo isso aqui, pertinho da minha casa.”

DSC00014
Trabalhando e assistindo ao jogo do Mengão. Tem algo melhor que isso?

Torcida  pé quente
As amigas Amanda Drago e Isabelly Prada, de 10 e 9 anos, incentivadas por seus pais, não escondiam a emoção. Era a primeira vez em um estádio de futebol. No meio do mar vermelho e preto, a dupla mostrou que era sortuda antes mesmo do jogo começar.  Elas se encontraram por coincidência, não haviam marcado,  e no meio de mais de 15.000 torcedores, torceram juntas pelo Flamengo.

DSC00018
Amanda e Isabelly com os pais.
DSC00016
Pela primeira vez em um estádio, a dupla foi pé quente e saiu com a vitória.

A jornalista Paula Bourguignon contou que a paixão pelo Flamengo vem de sangue. Assim como o pai,  Péricles Bourguignon, ela também é Flamengo. “Só quem torce para o Flamengo sente essa emoção diferente  do começo ao fim do jogo. Tive a sorte de ter herdado esta paixão do meu pai. Sou a fiel escuderia dele quando tem jogo do nosso Mengão.”

O pai completa: “Passei a minha paixão pelo Flamengo para a Paula quando ela era pequenina. É uma grande oportunidade estarmos juntos no estádio nesta grandeza e tradição  que é o nosso Mengão”.

WhatsApp Image 2016-09-25 at 21.33.31

E se engana que nas arquibancadas só tinha rubro-negro. A energia da torcida do Flamengo é tão extraordinária, que contagiou a tricolor Paula Del Puppo. Ela que  foi acompanhar o pai flamenguista, confessou que torceu para o Fla. “O jogo foi incrível. Apesar de não ser flamenguista, torci como uma. Foi uma experiência muito legal e ainda  pude ver a alegria do meu pai. Torci, gritei, tirei o esmalte da unha. Ver a vitória do Flamengo e  felicidade do meu pai foi sensacional.”

14463815_1099332630132843_1131211851_n
Paula torce pelo Fluminense mas apoiou o rubro-negro para ver o pai feliz

Manuela Merlo é aquela que segue o Flamengo onde for: “Se tem jogo no Espírito Santo, temos que aproveitar. Mesmo morando em Linhares, 148km de distância do Kléber Andrade, o sacrifício de organizar agenda,  comprar ingresso e ir ao estádio,  vale a pena. Não importa ter que acordar às 5h da madrugada para voltar para Linhares no outro dia, nem ter que pegar a estrada muitas vezes dirigindo sozinha. O importante é estar junto e apoiar sempre.”

Uma virada para ficar na memória
O primeiro tempo foi com o Flamengo em busca do gol. Pressionado para não deixar o Palmeiras disparar na tabela (o Verdão tinha vencido no sábado o Coritiba por 2 a 1), o rubro-negro tinha que vencer o time mineiro. No segundo tempo o ritmo do jogo caiu.  O técnico Zé Ricardo colocou Mancuello e Fernandinho no lugar  de Marcio Araújo e de Gabriel. Apesar da mudança, aos 28 minutos do segundo tempo, com  gol do Rafinha, Cruzeiro abriu o placar.

Apesar do choque, a torcida do Flamengo, empurrou o time até o fim. Aos 38 o ‘cheirinho de hepta’ voltou a exalar: Guerrero chutou a bola que desviou no Bruno Rodrigo, enganado o goleiro do Cruzeiro. Tudo igual no placar, para a alegria dos mais 15.000 torcedores presentes no Klebão. Acreditando na virada, o Fla partiu para cima. Mancuello balançou as redes aos 43 minutos, selando a vitória: 7 jogos e 7 vitórias no Kleber Andrade. Será o presságio do hepta?

O Flamengo retorna para o Kléber Andrade nesta quarta-feira (28), às 21h 45, para o jogo contra o Palestino (Chile), válido pela classificação da Copa Sul-Americana.


 

Viu algo interessante no mundo do esporte?  Envie sugestão para:

[email protected]

Facebook_icon.svgfoto-instagram-esboco-do-logotipo-da-camera_318-56004

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *