Atletas da ginástica de trampolim se destacam no Brasileiro da modalidade

Um belo esporte e ainda pouco conhecido que, mesmo com as dificuldades, está despertando sonhos e talentos. Trata-se da ginástica artística de trampolim. Em Vitória, a Flip é uma das equipes. Parte dela treina atualmente no Centro Municipal de Ginástica e Lutas (antigo Pé de Moleque), espaço cedido pela Prefeitura de Vitória, através da Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (Semesp), na Vila Rubim.

Há dois anos, a Flip está disputando torneios nacionais e tem conquistado expressivos resultados, sob o comando dos professores Rogério Dias e Elisa Seixas.

A Flip Ginástica Artística e Trampolim nasceu há 15 anos e, hoje, conta com quase 200 alunos. Além do Centro Municipal, a equipe tem parcerias com escolas particulares.

Bons resultados

Rogério Dias se lembra com orgulho dos últimos resultados do Campeonato Brasileiro Elite Júnior e Torneio Nacional de Trampolim, realizado neste mês em Goiânia (GO). Representaram o Espírito Santo no Brasileiro Elite Júnior as ginastas Ana Clara Alves e Tamires Barcelos. No Torneio Nacional, Ana Luiza Rodrigues, Izabela Burila, Izabela Rocha, Izabela Santana, Samira Gonçalves, Natale Gomes, Pyetro Dias e Kezia Gomes foram as feras.

Atleta Pyetro Dias levou o primeiro lugar no duplo-mini e terceiro no tumbling no Brasileiro disputado em Goiânia
Atleta Pyetro Dias levou o primeiro lugar no duplo-mini e terceiro no tumbling no Brasileiro disputado em Goiânia

“Fomos muito bem neste último campeonato. É o segundo ano que participamos a nível nacional e já estamos muito bem. Competimos contra grandes clubes. Fomos muito elogiados e estamos mostrando a cara já no pódio. Tivemos o Pyetro Dias, de 9 anos, que levou o primeiro lugar no duplo-mini e terceiro no tumbling e a Ana Clara Alves, de 14 anos, que ficou com o terceiro lugar no tumbling”, contou.

Ana Clara ficou com o terceiro lugar no tumbling na competição nacional
Ana Clara ficou com o terceiro lugar no tumbling na competição nacional
Saiba mais

Na etapa classificatória, cada atleta deve apresentar duas séries de dez elementos, uma obrigatória, com elementos pré-estabelecidos, e uma série livre, na qual os elementos da série obrigatória não podem ser repetidos. Os oito atletas com a maior somatória se classificam para a final, na qual executam uma nova série livre.


Viu algo interessante no mundo do esporte?  Envie sugestão para:

[email protected]

Facebook_icon.svgfoto-instagram-esboco-do-logotipo-da-camera_318-56004

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *