• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Cielo volta a mudar de técnico e aposta em preparação nos EUA por vaga olímpica

Esportes

Cielo volta a mudar de técnico e aposta em preparação nos EUA por vaga olímpica

Depois de grandes frustrações no ano passado, quando se machucou no Mundial de Kazan e teve um resultado ruim na primeira seletiva olímpica, o atleta vai se preparar com Scott Goodrich

Nadador troca Brasil por EUA e de técnico para conquistar vaga para Rio 2016 Foto: Estadão Conteúdo

São Paulo - O nadador Cesar Cielo vai dar nos Estados Unidos sua última cartada para conquistar a vaga olímpica. Depois de grandes frustrações no ano passado, quando se machucou no Mundial de Kazan e teve um resultado ruim na primeira seletiva olímpica da natação brasileira em Palhoça (SC), o atleta vai fazer sua preparação nos Estados Unidos com o técnico Scott Goodrich.

Cielo já foi treinado em duas oportunidades por Goodrich, seu ex-companheiro de equipe em Auburn. De janeiro de 2013 até o começo de 2014, o norte-americano morou no Brasil e trabalhou exclusivamente com Cielo. Foi neste período que o nadador ganhou o tricampeonato mundial nos 50m livre. O norte-americano, entretanto, assumiu como chefe de uma equipe nos EUA e encerrou o vínculo com Cielo.

Desde então, o brasileiro não se acertou mais em lugar nenhum. Treinou no Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte, alegando que desejava treinar diariamente com uma equipe, depois com o próprio Goodrich nos EUA, e, no ano passado, foi comandado por Arilson Silva em São Paulo.

"Lá (nos EUA) foi o lugar em que treinei e obtive sucesso tanto para o Mundial de Barcelona (2013) quanto para o de Doha (em 2014, em piscina curta). Voltar a treinar com o técnico com quem eu ganhei o meu terceiro título mundial (nos 50m livre) faz sentido", afirmou Cielo, que vai nadar nos próximos meses na piscina do Phoenix Swim Club.

O objetivo maior de Cielo é a disputa do Troféu Maria Lenk, no Rio de Janeiro, quando será realizada a segunda e última seletiva olímpica da natação brasileira. Na primeira delas, o Open, em dezembro, o maior nadador da história do País não foi à final dos 100m livre e abandonou a competição sem nem cair na piscina para os 50m livre. A expectativa é que Cielo faça índice na prova mais curta e ao menos entre no revezamento 4x100m livre.