• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Chapecoense enfrenta o Palmeiras de olho na reconstrução após acidente aéreo

Esportes

Chapecoense enfrenta o Palmeiras de olho na reconstrução após acidente aéreo

Com homenagens aos mortos no acidente o time catarinense abre a temporada de reconstrução do elenco

Os dois times se reencontram dois meses após a marcante partida no estádio Allianz Parque Foto: Divulgação

A Chapecoense faz neste sábado a transição do passado recente e triste, marcado pela tragédia aérea, ao futuro renovado e de esperanças. Com homenagens aos mortos no acidente em novembro e depois com amistoso contra o Palmeiras, às 16h30, na Arena Condá, em Chapecó (SC), o time catarinense abre a temporada de reconstrução do elenco.

Os dois times se reencontram dois meses após a marcante partida no estádio Allianz Parque. O encontro em São Paulo deu ao Palmeiras o título do Campeonato Brasileiro e foi uma triste marca para a Chapecoense, pois no dia seguinte o elenco acabou dizimado durante a viagem para a Colômbia, onde iria jogar a final da Copa Sul-Americana.

As tamanhas condições excepcionais da partida, que terá toda a renda revertida ao clube catarinense, levaram à montagem de uma programação diferente. Uma hora antes do jogo terá início uma cerimônia. As viúvas de atletas e integrantes da antiga comissão técnica entrarão em campo para receber as medalhas pelo título da Sul-Americana. O ponto alto será a presença dos três jogadores sobreviventes. O goleiro Jackson Follmann, que continua internado no hospital, ganhou uma liberação especial do tratamento para se recuperar da amputação na perna direita e irá de cadeira de rodas.

O zagueiro Neto, capitão do ano passado, vai erguer a taça de campeão. "Era um jogo que a cidade estava precisando. Foi uma coisa mundial. Esse jogo vale muito para a Chapecoense, para cidade, para os familiares", disse nesta sexta-feira o lateral-esquerdo Alan Ruschel, outro sobrevivente.

A torcida fez fila nesta sexta-feira na porta do estádio para comprar os ingressos. Até o fim da tarde, mais de 12 mil haviam sido vendidos. A expectativa do público é para conhecer os 22 novos contratados da equipe. Os reforços serão apresentados nome a nome antes do jogo.

A partida é o único teste do time antes de começar a disputar as competições oficiais. Já no meio de semana tem compromisso em casa contra o Joinville, pela Copa da Primeira Liga. O técnico Vágner Mancini reconheceu ontem que a remontagem da equipe foi um trabalho não somente esportivo. "Eu andava pelas ruas e fui abraçado por duas senhoras e elas me falaram dos heróis que se foram. Ficou uma lição pra mim de que nós estamos sendo o divisor de águas não pra um clube, mas para uma cidade", afirmou.

A equipe fez o último treino na manhã desta sexta-feira com a presença de torcedores e com a cobertura de veículos de comunicação de nove países.

Palmeiras

 O time alviverde terá a estreia de Felipe Melo no amistoso. Principal contratação do time, o volante teve a escalação confirmada pelo técnico Eduardo Baptista, outro estreante do clube. O elenco não terá a força máxima, já que alguns jogadores ficaram em São Paulo para aprimorar a forma física, entre eles Michel Bastos, Willian e Guerra.

Moisés, Lucas Barrios, Edu Dracena, Vitor Hugo e Mina também serão poupados no amistoso. "A ideia é botar um time em cada tempo, com exceção dos dois zagueiros. O Vitor (Hugo) e o Edu (Dracena) precisam de um trabalho maior na parte física. O Antônio Carlos e o Thiago Martins vão até onde puderem ir. Estou levando o Vitão, da base, e o Thiago Santos pode fazer para mim essa função se precisar", disse o técnico, em entrevista coletiva.

Homenagem 

O amistoso terá uma parada a mais durante os 90 minutos do que somente o intervalo, na metade do tempo regulamentar. O árbitro Héber Roberto Lopes vai interromper o andamento aos 26 do segundo tempo, que corresponde ao 71º minuto jogado, em um dos atos de homenagens às 71 vítimas do desastre aéreo com a equipe catarinense em novembro do ano passado.

Pela planejamento da Chapecoense, o sistema de som vai ecoar o tradicional canto "Vamos, vamos, Chape" para cativar o torcedor durante a interrupção e homenagear os falecidos na queda do avião na Colômbia. O intuito é fazer o ato se fixar pelos jogos restantes da equipe como mandante, com a diferença que neste sábado, por ser um amistoso, o jogo será paralisado pelo árbitro por um minuto.

O departamento de marketing do clube cuidou de incrementar a decoração do estádio. Na entrada para a partida os torcedores vão receber 10 mil escudos e 10 mil estrelas de papel. As organizadas da Chapecoense vão exibir um mosaico de 10 m² ara estampar a nova estrela, símbolo da conquista da Copa Sul-Americana do ano passado.

Pelo feito, aliás, haverá uma cerimônia antes do apito inicial. As famílias das vítimas e os sobreviventes vão participar da cerimônia de premiação, com medalhas e a entrega da taça. O novo elenco, formado por mais de 20 jogadores contratados, vai entrar em campo junto com garotos das categorias de base e será apresentado à torcida.