Fora de campo, equipes de São Paulo travam briga pela audiência na web

Esportes

Fora de campo, equipes de São Paulo travam briga pela audiência na web

Redação Folha Vitória

São Paulo - Os clubes paulistas não se preocupam mais apenas com os treinamentos, adversários, contratações e finanças. Câmera, iluminação, conexão de internet, agenda de entrevistas, edição de vídeo e, principalmente, audiência viraram temas importantes para quem não disputa só campeonatos, mas também a atenção dos torcedores nos respectivos canais de comunicação.

As transmissões ao vivo por plataformas como YouTube e Facebook se transformaram em grande ferramenta para as equipes manterem o público informado sobre eventos não transmitidos pela TV. Os clubes também apostam na organização de equipes próprias para produção de vídeos exclusivos como entrevistas, bastidores dos treinos e até documentários.

Nos últimos meses, dois conteúdos de times paulistas fizeram sucesso na internet. Há 10 dias, o Palmeiras fez a segunda transmissão ao vivo de maior audiência no futebol brasileiro no YouTube. O jogo-treino contra o Atibaia, em uma tarde de sexta-feira, atraiu média 36 mil espectadores fixos, com 250 mil visualizações ao longo de duas horas de exibição. A maior marca pertence ao clássico Atlético Paranaense x Coritiba, no ano passado, pelo Campeonato Paranaense: 360 mil visualizações.

Outro conteúdo recente de sucesso foi feito pelo São Paulo. O clube comemorou bastante a audiência no YouTube com o documentário de 57 minutos sobre o zagueiro uruguaio Diego Lugano, batizado de Don Diego. O material estreou em dezembro, com transmissão ao vivo, e já são mais de 180 mil visualizações. O sucesso ajudou o clube a registrar um aumento de 92% nas visualizações de 2016 para 2017 no conteúdo da SPFC TV. O São Paulo também atrai público com bastidores de jogos e entrevistas exclusivas com o elenco.

Santos e Corinthians não ficam atrás. O time da Vila Belmiro mantém desde 2009 uma equipe para produção de vídeos. As coletivas são transmitidas ao vivo por YouTube e Facebook. Os bastidores de jogos são os mais vistos. Já o Corinthians aposta em uma estratégia diferente ao não priorizar plataformas, mas variar o conteúdo de vídeo entre as redes sociais e os mais de 19 milhões seguidores do clube.

Na principal plataforma para vídeos, o YouTube, o Palmeiras é quem tem os números mais expressivos. Equipe paulista com mais seguidores - 700 mil -, faz em média por semana cinco transmissões ao vivo e publica três vídeos por dia. Cinco pessoas atuam na produção. O canal alviverde no site tem até "naming right". As transmissões ao vivo de jogos exigem do Palmeiras cuidados extras como narrador, comentarista e reforço na velocidade da conexão com a internet.

NO BASQUETE - A Liga Nacional de Basquete (LNB) é um exemplo positivo de transmissões pelas plataformas digitais. Além das exibições em TV aberta (Band) e fechada (SporTV), os jogos do NBB chegam aos fãs do esporte pelo Facebook - pela segunda temporada - e Twitter, em ação inédita no Brasil.

Na atual temporada, sete jogos foram transmitidos pela página do Facebook do NBB. São 72.818 visualizadores únicos em média.

O recorde até aqui é na partida entre Joinville e Bauru, com 125.350 visualizadores únicos. Na temporada passada, o recorde foi de 192 mil, registrado no quinto jogo da série de quartas de final entre Flamengo e Pinheiros.

No Twitter foram oito jogos, com média de 30 mil visualizadores únicos. O recorde foi registrado no duelo entre Bauru e Flamengo, com 53.258. A decepção ficou com Caxias e Joinville, com apenas 592 visualizadores únicos. (colaborou Marcius Azevedo, de São Paulo)