Preso por corrupção, ex-cartola boliviano viaja para São Paulo para tratar câncer

Esportes

Preso por corrupção, ex-cartola boliviano viaja para São Paulo para tratar câncer

Redação Folha Vitória

La Paz - Um dos cartolas sul-americanos envolvidos no escândalo da Fifa, Carlos Chávez viajou de Santa Cruz de la Sierra para São Paulo para fazer tratamento contra um câncer na virilha. Ex-presidente da Federação Boliviana de Futebol e ex-tesoureiro da Conmebol, ele está preso desde julho de 2015.

Chávez, de 59 anos, veio para o Brasil em um avião ambulância, sob custódia policial. Em São Paulo, ele será submetido a exames e a quimioterapia no Hospital Albert Einstein até o dia 26 deste mês.

O boliviano estava internado em uma clínica de Santa Cruz de la Sierra desde o mês passado. E nas últimas semanas passava por tratamento intensivo. Em despacho, o juiz Alex Rengel confirmou o diagnóstico de câncer e autorizou o pedido do ex-dirigente esportivo de viajar até o Brasil para receber tratamento. Chávez ainda está em julgamento.

Ele é acusado de corrupção e malversação, além de ser suspeito de ter obtido lucro com a partida amistosa entre a seleção brasileira e a Bolívia, em abril de 2013, que teve por objetivo arrecadar fundos para a família do garoto Kevin Espada, morto em jogo da Copa Libertadores entre Corinthians e San Jose, em 2013.

A suspeita do Ministério Público da Bolívia é que o dinheiro acabou indo para Chávez, para o ex-secretário-executivo Alberto Lozada e para outros funcionários da Federação Boliviana.