Geuvânio relaciona bom início de ano no Santos a treinos nas férias

Esportes

Geuvânio relaciona bom início de ano no Santos a treinos nas férias

Redação Folha Vitória

Santos - As longas conversas com o auxiliar técnico Luiz Fernando Rosa e os conselhos dos preparadores físicos do Santos levaram Geuvânio a trocar as viagens e as diversões nas férias por preparação em academia em São Paulo e trabalho com um personal training. Essa foi a explicação que o autor de dois na vitória por 3 a 0 do Santos contra o Ituano, domingo na Vila Belmiro, pela primeira rodada do Campeonato Paulista.

"Estou colhendo os frutos do meu trabalho. Abri mão de curtir e de descansar para em preparar para começar bem 2015. Consegui render bem e fazer os gols porque estava leve para jogar", disse Geuvânio. A preparação que o atacante fez nas férias foi para fortalecer a musculatura das coxas. "O que me atrapalhou no ano passado foi a contusão que eu sofri no músculo do chute da coxa esquerda", explicou.

A diretoria que entregou o clube em estado de penúria em 1.º janeiro de 2015 vendeu 35% dos direitos de Geuvânio (e de Gabriel e Daniel Guedes também) em segredo, no apagar das luzes, ao fundo de investimento maltês Doyen Sports. A nova administração, além de correr para quitar dívidas, reduziu em 23% a folha do futebol e planeja recomprar, em breve, os 35% dos direitos para voltar a ficar 70%, prevendo uma lucrativa transferência para o exterior.

Em 2014, Geuvânio foi o melhor jogador santista, com sete gols e 11 assistências, além de ter sido eleito a revelação do Campeonato Paulista. A sua performance no Estadual só não foi perfeita por causa da crise de choro que ele teve ao sair de campo após a vitória por 3 a 2 de virada contra a Penapolense e a queda de produção nos dois jogos da decisão contra o Ituano.

"Já falei sobre isso. Na ocasião chorei por causa da minha família que estava presente, num momento especial. Pensei em tudo o que passei e com eles presentes lá desabafei mesmo. Precisava daquilo. Para mim não foi nada de pressão, minha família estava comigo e precisava desabafar mesmo porque a minha vida nunca foi fácil. Depois cai de produção por causa da contusão".

Além dos dois gols, do bom futebol que mostrou na estreia e de sentir bem física e tecnicamente, Geuvânio tem outro motivo para estar satisfeito. Há poucos dias, ele foi chamado pela direção do Santos e teve um aumento salarial. "Tive uma conversa com Dagoberto (Fernando dos Santos, diretor-executivo do clube) e ele resolveu aumentar o meu salário. Fico feliz pelo reconhecimento que tiveram comigo", finalizou Geuvânio, que soma 61 jogos pelo Santos, com 16 gols marcados.