Libertadores abre fase de grupos com rivalidades locais apimentando o torneio

Esportes

Libertadores abre fase de grupos com rivalidades locais apimentando o torneio

Dos cinco brasileiros, dois paulistas (São Paulo e Corinthians) e dois mineiros (Atlético e Cruzeiro) têm um torneio particular que só os dois vão disputar

Redação Folha Vitória
Foto: Divulgação

São Paulo - As rivalidades locais prometem tornar ainda mais intensa e dramática a Libertadores em 2015. Em condições normais o torneio já retrata o exagero de Nelson Rodrigues ("é hora de amarrar as chuteiras com as próprias veias"). Agora imagine esse cenário potencializado pela rixa dos vizinhos de muro...

Dos cinco brasileiros, dois paulistas (São Paulo e Corinthians) e dois mineiros (Atlético e Cruzeiro) têm um torneio particular que só os dois vão disputar. Apenas o Internacional está livre dessa angústia, mas conquistou seu título sul-americano em cima do São Paulo, em 2006.

A rixa, aqui, é interestadual. O Inter estreia nesta terça-feira e inicia sua luta pelo tricampeonato contra o The Strongest na Bolívia, na altitude de La Paz. Os gaúchos têm um grupo difícil, com Emelec e Universidad de Chile.

Os argentinos também terão de resolver suas intrigas internas na Libertadores. Pela primeira vez na história os quatro gigantes (Boca Juniors, River Plate, San Lorenzo e Racing) estão juntos no torneio.

Sai faísca quando rivais se encontram. O exemplo mais recente foi a final da Copa do Brasil entre os mineiros. "Foi melhor vencer a Copa do Brasil em cima do Cruzeiro do que a Libertadores no ano passado", comparou o ex-atleticano Diego Tardelli.

Foram igualmente incandescentes os jogos entre Corinthians e Palmeiras nas quartas de final de 1999 e nas semifinais de 2000 pelas Libertadores. Foi nessa época que o goleiro Marcos se tornou santo e ganhou o apelido que carrega até hoje. E Marcelinho ficou marcado pelo pênalti perdido.

PRIMEIRA VEZ - O confronto entre São Paulo e Corinthians abre o Grupo 2 na quarta-feira. Completam o chamado "grupo da morte" o atual campeão San Lorenzo e o uruguaio Danubio. Será a primeira vez que os rivais se encontrarão no torneio, mas eles têm sido figurinhas carimbadas na competição.

De 2000 para cá, o São Paulo marcou presença nove vezes e ganhou um título. O Corinthians tem oito participações e também uma conquista. "São times muito bons, com tradição, e que já ganharam a Libertadores. Será uma das edições mais difíceis dos últimos anos", disse Luis Fabiano.

Os treinadores também falam em um momento singular. "Clássico é clássico em qualquer campeonato. É uma coisa diferente", afirmou o técnico Muricy Ramalho. "São dois campeões mundiais, isso é muito grande. Isso é orgulho para as duas torcidas", afirmou o corintiano Tite.

Os mineiros ainda não têm data marcada para o duelo, mas podem se encontrar nas próximas fases - os dois têm potencial para ir longe.

Esta Libertadores é superlativa na musculatura dos concorrentes. É a edição com mais times que venceram o torneio. São 14, um a mais do que em 2011. Todos os brasileiros já levantaram a taça.

O São Paulo foi campeão em 1992, 1993 e 2005; o Corinthians acabou com a maldição em 2012, o Internacional tem duas conquistas (2006 e 2010), assim como o Cruzeiro (1976 e 1997). E o Atlético-MG foi o último a sentir o gostinho de dominar a América, ganhando a edição de 2013.