Leco rebate Abílio Diniz por críticas contra auditoria no São Paulo

Esportes

Leco rebate Abílio Diniz por críticas contra auditoria no São Paulo

No texto, obtido pela reportagem do jornal Estado de S. Paulo, Leco ressalta que em cem dias de gestão, tem promovido medidas para sanear as finanças e dar mais transparência ao São Paulo

Redação Folha Vitória
Leco rebate críticas contra auditoria no São Paulo Foto: Divulgação

São Paulo - O presidente do São Paulo, Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, rebateu com comunicado na noite desta segunda-feira as críticas recebidas pelo empresário Abílio Diniz. O dirigente do clube do Morumbi enviou aos conselheiros carta em que nega existir falta de cooperação na diretoria para colaborar com as duas auditorias pagas por Diniz para verificar a situação do São Paulo.

No texto, obtido pela reportagem do jornal Estado de S. Paulo, Leco ressalta que em cem dias de gestão, tem promovido medidas para sanear as finanças e dar mais transparência ao São Paulo, com a redução de custos e revisão de contratos. "São desprovidas de fundamento, portanto, as ilações de que o departamento de futebol estaria dificultando um trabalho que é do nosso total interesse", escreveu o presidente.

Na última semana, Diniz publicou um texto em seu blog no portal UOL em que criticava o andamento no trabalho das duas auditorias pagas por ele para analisar as finanças e o futebol do São Paulo, a PricewaterhouseCoopers (PwC) e a McKinsey. O empresário afirmou que ambas "não conseguem informação nem espaço para trabalhar no futebol" e disse que os atuais dirigentes não davam abertura para o trabalho.

Leco explicou na carta aos conselheiros que o problema não tem ocorrido. "Fui informado pelos dirigentes da área, o vice-presidente Ataíde Gil Guerreiro, o diretor Rubens Moreno, e o gerente-executivo de futebol Gustavo Vieira de Oliveira, de que todos os documentos solicitados foram e continuam sendo postos à disposição dos auditores. Essa é a minha orientação e assim será feito", escreveu.

A reportagem apurou que a relação entre o presidente do clube e Abílio Diniz tem se deteriorado nos últimos dias. O centro desta tensão é Milton Cruz, ex-coordenador técnico do clube e amigo do empresário. Cruz é funcionário do clube desde 1994 e no começo deste ano foi transferido para comandar um novo departamento de estatísticas, função que no entender de pessoas próximas, o afastou das decisões do futebol. Diniz é membro do conselho fiscal do clube e costuma participar das reuniões do Conselho Deliberativo.

"Não ficaremos inertes nem calados diante de tentativas de tumultuar o ambiente político do clube (pois é disso, afinal, que se trata) em nome de interesses muitas vezes particulares ou mesquinhos que se escondem por trás de vaidades mal administradas. O São Paulo realmente não tem dono, mas tem, sim, um Presidente legitimamente constituído pelo voto", afirmou Leco na carta.