• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

Adilson pede ajuda da torcida do Cruzeiro após queda ao quinto lugar no Estadual

Esportes

Adilson pede ajuda da torcida do Cruzeiro após queda ao quinto lugar no Estadual

Para quem não acompanha o Cruzeiro mais de perto, ou até mesmo os mais fanáticos, há muita dificuldade para reconhecer o grupo de jogadores de Adilson Batista

Foto: Cruzeiro Esporte Clube

"A gente pede desculpas ao torcedor, que ele entenda, que ele ajude, que é um momento importante que a gente precisa". As palavras do técnico Adilson Batista após a derrota do Cruzeiro por 2 a 0 para o Tombense, na quinta-feira, em jogo válido pelo Campeonato Mineiro, mostram o tom desolador que se abate no clube mineiro neste começo de temporada.

Os problemas financeiros e jurídicos, escancarados durante a inédita queda do clube para a Série B do Campeonato Brasileiro no ano passado, refletem diretamente no desempenho da equipe dentro de campo. Apesar de ter perdido apenas uma vez após seis jogos no Estadual, o time ocupa a modesta quinta posição, fora, portanto, da zona de classificação para as semifinais. Pela Copa do Brasil, a vaga para a segunda fase veio após um suado empate contra o São Raimundo-RR, em Roraima.

Para quem não acompanha o Cruzeiro mais de perto, ou até mesmo os mais fanáticos, há muita dificuldade para reconhecer o grupo de jogadores de Adilson Batista. Tirando nomes como o goleiro Fábio, o lateral-direito Edílson e o zagueiro Léo, remanescentes das grandes conquistas recentes, o restante do elenco é formado por jovens atletas desconhecidos.

"Tenho de valorizar o que eles estão fazendo, estou vendo uma dedicação, estou vendo posse de bola, construção, triangulação, faltam umas coisas que o tempo vai dar. O tempo que vai dar isso. Uma tomada de decisão de um atleta de 20 anos é diferente do que de um jogador mais experiente", reforçou Adilson. O técnico assumiu o posto nas últimas três rodadas do Brasileirão de 2019 e faz parte do projeto de reconstrução do clube.

Do elenco que terminou a temporada passada, 21 jogadores saíram, com destaque para atletas experientes como Henrique, Orejuela, Sassá, Thiago Neves, Rodriguinho e Fred.

DÍVIDA A CURTO E A LONGO PRAZO - Em nota divulgada em seu site oficial, o Cruzeiro reconheceu que a sua dívida de R$ 800 milhões cresce a cada dia. "As dívidas, que inicialmente estavam orçadas em R$ 700 milhões, hoje já ultrapassaram os R$ 800 milhões, e ainda não é um número preciso, porque a cada hora vão aparecendo mais coisas", informou o documento assinado pelo conselho gestor do clube.

Dentre as ações para equilibrar as contas, o Cruzeiro demitiu vários funcionários (estimando economia de R$ 25 milhões/ano), cortou sua frota de carros e estava estudando como utilizar melhor seus imóveis para cortar mais custos. Tudo para se adequar à nova realidade orçamentária, que antes tinha arrecadação na casa dos R$ 350 milhões e passou para R$ 25 milhões nesta temporada.

No dia 31 de janeiro, os dirigentes voltaram a atualizar os torcedores sobre a situação financeira enfrentada pelo clube e tratou de acalmar os ânimos após Saulo Fróes, presidente do Núcleo Dirigente Transitório, em entrevista durante o Troféu Guará, dizer que o Cruzeiro poderia cair para a Série C se não honrasse seus compromissos. "Caso o clube não cumpra com suas obrigações, é passível sim de penalidades, como por exemplo a perda de 6 pontos na Série B por processo. No entanto, em caso de condenação, o Cruzeiro terá um prazo estipulado pela Fifa para quitar o débito em questão antes que a punição seja aplicada", explicou a nota divulgada.

UM FIO DE ESPERANÇA - Na última quarta-feira, os torcedores cruzeirenses tiveram um alívio em relação às más notícias e foram recepcionar o atacante Marcelo Moreno no Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte. O boliviano deixou para trás muito dinheiro no futebol chinês, onde defendia o Shijiazhuang Ever Bright, para retornar ao clube de Minas Gerais, onde jogou em duas oportunidades, entre 2007 e 2008 e em 2014. Ao todo, soma 93 jogos e 45 gols.

"Muitos chamam de loucura, mas eu chamo de amor. O lugar onde o coração bate mais forte é o que pode ser chamado de casa", disse o atacante em sua apresentação.