ATP e WTA pregam igualdade e repudiam declarações do diretor de Indian Wells

Esportes

ATP e WTA pregam igualdade e repudiam declarações do diretor de Indian Wells

Redação Folha Vitória

Indian Wells - A Associação dos Tenistas Profissionais (ATP) e a Associação de Tênis Feminino (WTA) repudiaram nesta segunda-feira as declarações polêmicas do diretor do Torneio de Indian Wells, de nível Masters 1000 no masculino e Premier, no feminino. Raymond Moore afirmou a jornalistas que o tênis feminino vive do sucesso do tênis masculino e as jogadoras devem se ajoelhar toda noite para agradecer a Deus pelo que o espanhol Rafael Nadal e o suíço Roger Federer fizeram por elas.

Moore disse também que a WTA deveria contar com a beleza de tenistas como a canadense Eugenie Bouchard e a espanhola Garbiñe Muguruza, consideradas por ele "fisicamente e esportivamente atraentes", para promover a modalidade. Para piorar, o sérvio Novak Djokovic esquentou ainda mais a polêmica ao afirmar que os tenistas homens deveriam receber maior premiação que as mulheres.

O presidente da ATP, Chris Kermode, considerou os comentários "depreciativos e de mal gosto". "A ATP apoia totalmente a igualdade na sociedade e também respeita o direito dos torneios em tomar suas próprias decisões relacionadas à premiação para o tênis feminino, que costuma ser disputado paralelamente [aos torneios masculinos]", declarou.

Numa tentativa de justificar os valores mais altos que geralmente são pagos aos tenistas do circuito masculino, Kermode explicou que a premiação se baseia na renda gerada pelos torneios. "A ATP procura alcançar uma compensação justa para os jogadores ao definir um valor mínimo para os torneios do circuito, de acordo com os lucros gerados pelos tenistas profissionais."

CEO da WTA, Steve Simon também criticou as declarações de Moore, que por coincidência se tornou seu sucessor na direção de Indian Wells. "Como diretor de um dos maiores torneios de tênis do mundo, os comentários feitos por Raymond Morre foram extremamente decepcionantes e alarmantes", afirmou Simon.

"A WTA mantém sua posição baseada nos princípios de igualdade e empoderamento. Tenho orgulho de todas as atletas corajosas que a WTA tem trabalhando duro, com sacrifício todo dia. O tênis é enriquecido pelas contribuições e conquistas de todos os jogadores, sejam homens ou mulheres", declarou o principal executivo da WTA.

Raymond Moore também foi alvo de críticas por parte da Associação de Tênis dos Estados Unidos. A presidente da entidade, Katrina Adams, classificou as declarações como "antiquadas". "Não há mais lugar no esporte para comportamento antiquado, sexismo e ideologias desinformadas", disse Adams, que foi tenista profissional durante 12 anos.

As tenistas também rebateram Moore. A número 1 Serena Williams não escondeu a indignação diante das declarações. "Estas observações são um grande erro e muito, muito, muito imprecisas", rebateu a líder do ranking. "Obviamente eu não acho que qualquer mulher deva ficar de joelhos para agradecer a ninguém", disse a melhor tenista da atualidade.