Sharapova revela apoio de Rafael Nadal e critica presidente da Wada

Esportes

Sharapova revela apoio de Rafael Nadal e critica presidente da Wada

Os advogados de Sharapova cobraram um pedido de desculpas público do presidente da agência. Para a russa, Reedie deveria dar mais atenção ao seu trabalho

Redação Folha Vitória
Sharapova revelou ter recebido apoio do espanhol Rafael Nadal Foto: Reprodução/Instagram

Um mês antes de voltar ao circuito profissional, após cumprir suspensão por doping, a tenista russa Maria Sharapova revelou ter recebido apoio do espanhol Rafael Nadal durante o período da punição e criticou o presidente da Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês), Craig Reedie.

Em entrevista à revista Vanity Fair, a ex-número 1 do mundo se mostrou incomodada com as declarações do dirigente da Wada. Reedie afirmou que sua "grande satisfação neste caso é ter retirado alguém que em um ano pode ganhar mais dinheiro do que todo o orçamento da Agência junto". Os advogados de Sharapova cobraram um pedido de desculpas público do presidente da agência.

Para a russa, Reedie deveria dar mais atenção ao seu trabalho, em vez de dar declarações públicas como esta. "Se o seu trabalho e o seu lema é manter o esporte limpo, você deveria ser mais cuidadoso na comunicação da lista de substâncias proibidas. Quanto a Corte Arbitral do Esporte (CAS) viu as mensagens que a agência nos enviou para nos avisar sobre as mudanças na lista, os juízes começaram a rir. Não era advertências", disse a tenista, ao criticar a forma complicada de se comunicar da Wada.

Apesar disso, Sharapova admitiu ter se arrependido de não contar com um médico em tempo integral para mantê-la informada sobre substâncias proibidas. "Eu deveria ter tido um médico em tempo integral. Se pudesse voltar atrás, isso é o que mudaria", disse, na entrevista.

Diante da notícia sobre seu doping, pela substância Meldonium, Sharapova disse que assumiu a liderança do seu estafe para se defender. "Tomei as rédeas da situação desde o primeiro momento e administrei tudo. Disse: esta é minha história e vou contá-la", declarou, referindo-se a sua defesa.

Incomodada com os rumores de que se aposentaria em razão da punição inicial, de dois anos (depois reduzida pela CAS para um ano e três meses), ela rebateu os críticos. "Sabia que ninguém em um escritório iria dizer quando eu tinha que me aposentar", declarou Sharapova, que voltará a competir em Stuttgart, na última semana de abril, logo após acabar o período da suspensão.

RELAÇÃO COM OS TENISTAS - Alvo de críticas por parte de diversos colegas do circuito, Sharapova afirmou que não cultiva amizades no mundo do tênis. "Tenho muito respeito por outras tenistas porque entendo suas vidas, sei do sacrifício que fazem. Mas não quero ser sua amiga, não tenho interesse", disse a russa.

Ela revelou ter recebido apoio de Rafael Nadal, um dos poucos que teria enviado mensagem à russa. "Ele me mandou uma mensagem muito amável quando tudo aconteceu e mostrou todo o seu apoio. Tenho um enorme respeito por ele", declarou Sharapova.