Suspensa pela Fiba e endividada, CBB elege novo presidente nesta sexta-feira

Esportes

Suspensa pela Fiba e endividada, CBB elege novo presidente nesta sexta-feira

Acumula uma dívida de pelo menos R$ 17 milhões, está suspensa pela Federação Internacional de Basquete, o que impede o recebimento do repasse dos recursos do COB e do Ministério do Esporte

Redação Folha Vitória
Foto: Reprodução/Instagram

São Paulo - A Confederação Brasileira de Basquete (CBB) escolhe nesta sexta-feira, com início previsto para 14 horas, no auditório do Comitê Olímpico do Brasil (COB), no Rio, o sucessor de Carlos Nunes na presidência da entidade. Presidente da Federação do Paraná, Amarildo Rosa, 52 anos, da 'Chapa Bola na Cesta, Brasil!', enfrenta o ex-jogador e empresário do ramo de logística, Guy Peixoto, 55, da 'Chapa Transparência'. O vencedor ficará no cargo até março de 2021 e terá muito trabalho pela frente.

A CBB acumula uma dívida de pelo menos R$ 17 milhões, está suspensa pela Federação Internacional de Basquete, o que impede o recebimento do repasse dos recursos do COB e do Ministério do Esporte, e sem credibilidade no mercado para buscar parceiros.

Favorito ao lançar sua candidatura, quando tinha o apoio de 16 dos 28 votantes (15 federações, mais a associação de atletas), Amarildo viu Guy virar o jogo depois de uma reunião em Zurique, na Suíça, quando foi discutida uma intervenção da Fiba na CBB, no formato de uma força-tarefa.

Amarildo perdeu o apoio de três federações depois de concordar em assinar um documento da Fiba se comprometendo em seguir o que foi acordado na reunião, assim como fizeram COB, Ministério do Esporte e Liga Nacional de Basquete.

Guy se recusou e atraiu as federações que estavam indecisas e três das que haviam declarado voto no adversário. Neste cenário, o empresário, que conta com o apoio de ex-jogadores importantes como Marcel, Amaury Pasos, Wlamir Marques e Marquinhos Abdalla, teria 15 votos contra 13 do rival. Se a eleição empatar, Guy é eleito por ser mais velho.

A aceitação da força-tarefa seria inclusive discutida em uma assembleia extraordinária na quinta-feira, mas o encontro foi cancelado pela CBB. O presidente Carlos Nunes alegou que caberá ao sucessor decidir sobre o tema. Em teoria, o cancelamento deve prejudicar ainda mais a candidatura de Amarildo, que apoiou a chegada de Carlos Nunes à presidência e hoje é seu principal opositor.