Decisivo no clássico, Igor Julião explica comemoração: "postura que o Flu sempre teve na pandemia"

Esportes

Decisivo no clássico, Igor Julião explica comemoração: "postura que o Flu sempre teve na pandemia"

Autor do gol da vitória tricolor no Fla-Flu 431 também criticou o protocolo da CBF para a realização das competições

Foto: Mailson Santana/Fluminense

Na noite deste domingo (16) , o Fluminense venceu o Flamengo no Fla-Flu 431, no Maracanã, no primeiro clássico carioca da temporada 2021. Além da importância do triunfo sobre o maior rival, esta foi a primeira vitória do tricolor das Laranjeiras no Cariocão 2021. Antes da vitória, o Flu era o vice-lanterna do estadual.

Apesar de ter assustado pouco o time rubro-negro, o tricolor conseguiu sair com os três pontos graças a uma pintura de Igor Julião, que acertou um lindo chute da intermediária. Este foi um gol especial para o lateral-direito, pois foi o primeiro dele com a camisa do clube na equipe profissional.

Na comemoração, o jogador fez um gesto com o punho cerrado. De acordo com Julião, que é bastante conhecido pelos seus posicionamentos nas redes sociais, o significado do gesto feito tem  a ver com a forma que o clube tratou a pandemia desde o início em 2020.

“Inspiração foi por causa da postura que o Fluminense sempre teve durante a pandemia. O time que a gente escolhe torcer também é um ato político. Foi para exaltar a postura que o Fluminense teve durante a pandemia. É para isso, exaltar a postura do Fluminense numa pandemia até porque nem todos estão tendo uma postura coerente”, disse o lateral.

Além disso, Julião também aproveitou o momento para criticar o protocolo da CBF, que na opinião do jogador, é falho e deixa os atletas com risco de serem contaminados. "A gente sabe como é difícil, mesmo com o protocolo falho que a CBF tem com a gente, fazendo os jogadores viajarem em voos comuns durante o ano inteiro", afirmou.

Por fim, falando a respeito do clássico, o camisa 21 analisou que o Fluminense conseguiu sofrer bem a pressão do Flamengo. Mesmo com menos posse de bola e nem metade das finalizações do adversário, o tricolor se deu melhor na estatística mais importante que conta no futebol, a bola na rede.

"A gente soube sofrer. Na maioria das vezes o Flamengo foi melhor do que a gente, mas soubemos sofrer e aproveitamos a chance que a gente teve. Essa primeira vitória nos motiva para o restante da competição. E o professor Roger tem estrela, estreou com uma vitória que pôde ajudar a gente", finalizou.