Atlético-MG encara Racing e tenta suportar pressão para conseguir vantagem

Esportes

Atlético-MG encara Racing e tenta suportar pressão para conseguir vantagem

Tentando conter a força de um rival tarimbado pela experiência dos seus jogadores e pela sua força, o Galo enfrenta o Racing no lotado Estádio El Cilindro, em Buenos Aires, na Argentina

Redação Folha Vitória
Embora queira voltar a Belo Horizonte com um bom resultado, o Atlético deve adotar uma postura mais cautelosa na Argentina Foto: Bruno Cantini/Atlético MG

São Paulo - Quarto melhor time da fase de grupos da Copa Libertadores, o Atlético Mineiro abre nesta quarta-feira, às 19h30 (de Brasília), a sua participação nas oitavas de final diante do Racing, tentando conter a força de um rival tarimbado pela experiência dos seus jogadores e pela sua força no lotado Estádio El Cilindro, em Buenos Aires, na Argentina.

Segundo colocado no Grupo 3 da Libertadores, o Racing não passa por bom momento, tanto que está há cinco jogos sem vencer na temporada, também levando em consideração os seus compromissos pelo Campeonato Argentino, incluindo o empate por 0 a 0 com o rival Independiente no último fim de semana.

A sua força no El Cilindro, porém, segue intacta, ainda que tenha sido derrotado pelo Boca Juniors no seu último compromisso como mandante na Libertadores, tanto que esse tropeço foi o único do time nesta temporada no seu estádio, onde mandou 10 partidas.

Para transformar o estádio em um caldeirão e assustar o Atlético, o Racing apostará em jogadores experientes, ainda mais que Gustavo Bou, considerado o seu principal atacante, está contundido e foi vetado pelo departamento médico. Assim, as fichas do time estão depositadas em veteranos como Lisandro López.

Além dele, outro jogador experiente que será escalado pelo técnico Facundo Sava é o goleiro Saja, embora ele ainda se recupere de uma febre. Além deles, as esperanças da torcida em levar o Racing ao seu segundo título da Libertadores - o primeiro foi conquistado em 1967 - também estão nos pés do jovem meia-atacante Oscar Romero, irmão de Ángel Romero, jogador do Corinthians.

Para barrá-los e voltar a Belo Horizonte com um bom resultado, o Atlético apostará na base que o levou a garantir o primeiro lugar do Grupo 5, confirmando a condição de um dos candidatos ao título da Libertadores, embora existam questionamentos de alguns torcedores ao trabalho do técnico uruguaio Diego Aguirre.

Três jogadores do elenco, inclusive, já enfrentaram o Racing no seu estádio. São os casos dos argentinos Lucas Pratto e Dátolo, que disputará o seu primeiro jogo como titular na Libertadores após se recuperar de lesão, e do equatoriano Cazares, que ficará como opção no banco de reservas.

Além disso, o time terá o retorno de Leonardo Silva, que cumpriu suspensão no último compromisso do time na Libertadores e formará uma experiente dupla de zaga com o equatoriano Erazo. Além deles, outro jogadores experientes, como o goleiro Victor e o atacante Robinho, devem ser importantes para o time suportar o adversário.

Embora queira voltar a Belo Horizonte com um bom resultado, o Atlético deve adotar uma postura mais cautelosa na Argentina. Mais uma vez, Aguirre vai escalar um time com três volantes, mas, ao contrário do que ocorreu em jogos recentes, Júnior Urso terá menos liberdade para avançar ao ataque, atuando recuado, ao lado de Rafael Carioca e Leandro Donizete.

Tudo para o Atlético não repetir as decepcionantes campanhas que teve nas duas edições seguintes ao seu título da Libertadores de 2013, quando parou nas oitavas de final, e também decidir a passagem à próxima fase em boas condições quando será mandante e tentará repetir o clima de pressão que o Racing pretende exercer nesta quarta-feira.