Fora da Olimpíada, Cielo demonstra resignação: 'Não vou dizer que foi surpresa'

Esportes

Fora da Olimpíada, Cielo demonstra resignação: 'Não vou dizer que foi surpresa'

Redação Folha Vitória

Rio - Fora dos Jogos Olímpicos do Rio-2016, Cesar Cielo deixou a piscina do Estádio Aquático Olímpico abatido. Na saída, deu declarações apenas a uma emissora de TV - cujo áudio foi colocado no sistema de som da arena - e saiu cabisbaixo. Cerca de uma hora mais tarde, porém, conversou com a imprensa e demonstrou resignação. "Não vou dizer que foi completamente uma surpresa", ponderou.

Único detentor de um ouro olímpico na natação brasileira, Cielo lembrou o ano ruim que teve em 2015, cujo reflexo acabou sendo duramente sentido nesta quarta-feira, na final dos 50 metros livre, sua especialidade, no Troféu Maria Lenk.

"É muito difícil, mas não vou dizer que foi completamente uma surpresa. Para quem acompanha a natação sabe que tive um 2015 muito ruim. Esse ano não tive força para levantar. Tentei o máximo que eu podia, mas realmente não consegui isso na prova", declarou.

Apesar disso, Cielo viu pontos positivos em seu desempenho, já que nadou na casa dos 21s tanto na eliminatória quanto na final dos 50m livre. "Nadei bem além dos meus tempos. Nadei a última vez para 21 segundos em 2007. Minha última boa competição foi o Mundial de Doha (2014). É mérito do Bruno (Fratus) e do Ítalo (Manzine)", ponderou Cielo. "Perdi para eu mesmo."

O nadador aproveitou para desejar sorte a Ítalo Manzine, que ficou com a segunda vaga brasileira dos 50m livre. "O Ítalo é companheiro de treino. Vou torcer muito para ele, pois treinou duro. Espero que seja uma grande atuação não só para natação, mas como para o esporte brasileiro em geral nos Jogos. Agora é virar torcedor."

Cielo também não quis prever os seus próximos passos. "Não quero decidir nada agora. Certamente vou dar uma pausa em treinos, até porque não existe motivo para treinar na segunda-feira. Agora é relaxar, absorver o fato da melhor maneira possível. Já tive piores momentos do que o de hoje. Vou sentar com a minha família, conversar e ver o que será mais importante para mim."