Governador veta projeto que mudaria nome do estádio do Maracanã para Rei Pelé

Esportes

Governador veta projeto que mudaria nome do estádio do Maracanã para Rei Pelé

No despacho, Cláudio Castro afirmou que o veto se deu "em atendimento à solicitação do autor" do projeto de lei

Estadão Conteúdo

Redação Folha Vitória
Foto: Divulgação

O governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), vetou nesta quinta-feira a mudança de nome do estádio do Maracanã, que estava no projeto de lei n° 3489/2021. A decisão foi publicada no Diário Oficial do Estado. Idealizada por André Ceciliano (PT), deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), a proposta era substituir "Estádio Mário Filho" por "Estádio Edson Arantes do Nascimento - Rei Pelé".

No despacho, Cláudio Castro afirmou que o veto se deu "em atendimento à solicitação do autor" do projeto de lei. Isso porque houve uma repercussão negativa, entre jornalistas e torcedores de futebol em torno da mudança, assim que o texto foi aprovado na Alerj no dia 9 de março, com afirmações de que o foco deveria ser a pandemia, e não o futebol. Com isso, deputados decidiram solicitar ao governador o veto.

Em sessão, André Ceciliano explicou que tomou a decisão de recuar para não deixar seus pares com imagem negativa diante das críticas à proposta, lembrou que a casa em nenhum momento deixou de votar ações que dizem respeito ao novo coronavírus e disse que enxergou "muita paixão, clubismo e bairrismo" na discussão.

O projeto de lei fora aprovado pelos deputados da Alerj, mas ainda precisava ser sancionado pelo governador em exercício. O prazo para a manifestação de Cláudio Castro termina nesta quinta, quando ele se posicionou.

André Ceciliano havia proposto a troca com o objetivo de atrair turistas e homenagear Pelé, que marcou seu milésimo gol durante partida no Maracanã, em 1969. Segundo o projeto, o estádio passaria a se chamar Rei Pelé e o complexo esportivo, que inclui também o ginásio do Maracanãzinho, o Parque Aquático Júlio Delamare e o estádio de atletismo Célio de Barros, teria o nome de Mário Filho, originalmente atribuído ao estádio principal. Os deputados Bebeto (Pode), Carlos Minc (PSB), Marcio Pacheco (PSC), Eurico Junior (PV), Coronel Salema (PSD) e Alexandre Knoploch (PSL) assinaram como coautores - apenas a bancada do PSOL votou contra.