Gamboa vê Costa Rica forte para encarar 'grupo da morte'

Esportes

Gamboa vê Costa Rica forte para encarar 'grupo da morte'

San José - Apesar da dificuldade imposta pelo sorteio dos grupos da Copa do Mundo, o costa-riquenho Cristian Gamboa mostra otimismo para a participação de sua seleção no Mundial. E a equipe centro-americana confia na força de seu sistema defensivo para enfrentar os campeões mundiais Uruguai, Itália e Inglaterra na primeira fase da competição que será realizada no Brasil.

"Se conseguirmos ser fiéis ao nosso estilo de jogo e nos focarmos nos métodos que nos levaram ao Brasil, não há razão para abaixarmos nossas cabeças para jogadores como Suárez, Balotelli e Rooney. São 11 contra 11, nem sempre nomes contam muito dentro de campo", afirmou o lateral-direito do Rosenborg, clube da Noruega, em entrevista ao site da Fifa, publicada nesta quarta-feira.

O atleta creditou ao técnico colombiano Jorge Luis Pinto a melhor organização mostrada pela equipe desde que ele assumiu a seleção. "Nós costumávamos a jogar livremente, como uma equipe centro-americana. Era fácil fazer gol contra nós porque íamos muito ao ataque e deixávamos espaço atrás", analisou Gamboa. "A defesa foi responsável pela nossa classificação e agora é parte de nós", completou.

O jogador, porém, garante que sua seleção tem mais a mostrar. "Não queremos dar impressão de que somos só defesa. Não somos um time desesperado. Saímos de trás com velocidade e fazemos isso com jogadores de alto nível", garantiu Gamboa, citando o capitão Bryan Ruiz e o atacante Joel Campbell.

Integrante do Grupo D, considerado o "grupo da morte" deste Mundial por contar com três campeões mundiais de grande tradição, a Costa Rica vai estrear na Copa contra o Uruguai, no Castelão, em Fortaleza, no dia 14 de junho. Em seguida, jogará contra a Itália na Arena Pernambuco, no Recife, em 20 de junho, e quatro dias depois vai enfrentar a Inglaterra, no Mineirão.