• Velocidade do vento

  • Previsão de chuva

  • Nascer do sol

  • Por do sol

Umidade relativa do ar: Índice de raios UV:

'O fair play financeiro está aqui para ficar', diz Platini aos clubes europeus

Esportes

'O fair play financeiro está aqui para ficar', diz Platini aos clubes europeus

Nyon - O presidente da Uefa, Michel Platini, destacou nesta quinta-feira que o projeto de fair play financeiro que serve para controlar os gastos dos clubes europeus "está aqui para ficar" e que esta abordagem não deverá mudar no cenário do futebol do Velho Continente.

O dirigente francês ressaltou, em entrevista ao site da Uefa, que o objetivo "continua o mesmo", embora tenha revelado nesta semana que mudanças serão feitas para relaxar um pouco as regras que regulamentam as atividades financeiras dos times da Europa.

"O fair play financeiro originou uma melhoria drástica nas finanças dos clubes e restabeleceu a credibilidade comercial na modalidade. Quando começamos este processo, as perdas financeiras situavam-se em 1,7 bilhão de euros por ano, mas agora elas estão entre 400 e 500 milhões. Num curto período de tempo, o fair play financeiro está a alcançar aquilo a que se propôs: restabelecer a saúde financeira do futebol europeu e conferir aos clubes melhores e mais sólidas bases financeiras", disse Platini, ao ser questionado sobre o impacto desta iniciativa implementada pela Uefa a partir de 2009.

Platini enfatizou que os clubes "precisam viver dentro das suas possibilidades" e garantiu que, embora criticada, o continuidade do fair play financeiro é apoiada por todos, em sua opinião. "O objetivo do fair play financeiro continua a ser o mesmo, temos trabalhado para passar de um período de austeridade para um em que possamos oferecer mais oportunidades de crescimento sustentável", acredita.

As possíveis mudanças a serem implementadas no atual sistema de fair play financeiro do futebol europeu serão votadas na próxima reunião do Comitê Executivo da Uefa, entre 29 e 30 de junho, em Praga, e poderiam ajudar alguns clubes a encontrar compradores internacionais, cuja entrada no mercado estão limitadas pelas regras impostas pelo regulamento da entidade europeia.

As regras impostas pela Uefa desde que Platini lançou este projeto de fair play financeiro têm sido criticadas por supostamente proteger clubes de elite bem sucedidos comercialmente, em detrimento ao interesse de outros times de menor expressão de desafiá-los no cenário do futebol europeu.

O presidente da Uefa, porém, segue firme em defender a continuidade deste processo atual em vigência. "O fair play financeiro veio para ficar. Ao longo dos últimos três anos, o Órgão de Controle Financeiro de Clubes aprendeu substancialmente com o processo, e agora as alterações propostas aos regulamentos vão dar seguimento ao sucesso alcançado, ao mesmo tempo que se adapta às diferentes e melhores circunstâncias econômicas. O objetivo global continua a ser o mesmo: fornecer um ambiente regulador que apoia os clubes na criação de crescimento sustentável a longo prazo, ao mesmo tempo que mantém a estabilidade financeira", explicou.