Após briga com Fernando Diniz no Audax, artilheiro torce por ex-clube na final

Esportes

Após briga com Fernando Diniz no Audax, artilheiro torce por ex-clube na final

Redação Folha Vitória

São Paulo - O Audax entrará em campo para enfrentar o Santos, na Vila Belmiro, tendo seu artilheiro em ação há 890 km de distância com a camisa da Chapecoense, na decisão do Campeonato Catarinense contra o Joinville. Uma discussão com o técnico Fernando Diniz fez com que Rodrigo Andrade deixasse o clube em março, mas ele ainda é o artilheiro da equipe no Estadual, com oito gols, e vice-artilheiro da competição.

No dia 13 de março, na 9.ª rodada do Campeonato Paulista, Rodrigo Andrade discutiu com Fernando Diniz no empate por 3 a 3 com o São Bernardo, foi afastado e pediu para deixar o clube. Neste domingo, tem a chance de conquistar dois estaduais. "Estou na torcida pelos meus companheiros. No último jogo, acabou o da Chapecoense e eu já perguntei quanto tinha sido o jogo do Audax", contou o atacante, em entrevista exclusiva.

Embora tenha saído na 9.ª rodada, Rodrigo Andrade ressalta a sua importância na campanha. "Contribui bastante com meus gols. Dos 16 gols do time quando eu estava lá, participei de 14, sendo que marquei oito deles. Todo mundo do clube tem a consciência da minha importância. Sei que estarei na história também".

Rodrigo Andrade evita dar detalhes do que aconteceu e nega arrependimento. "Eu pedi para sair porque não aceitei ficar treinando em separado. Tínhamos um jogo com o Palmeiras e queria muito jogar. Fiquei triste", explicou o atacante, que bateu boca duas vezes com o treinador. "Não sou melhor do que ninguém. Todo mundo aceita o jeito dele falar com os jogadores (Fernando Diniz) e eu não. Sou pai de família e não sou obrigado a ouvir certas coisas", explicou o atacante de 28 anos.

Apesar da mágoa, Rodrigo Andrade ressalta a importância de Fernando Diniz na campanha do Audax e em sua carreira. "Ele foi um dos melhores treinadores com quem trabalhei e aprendi a marcar muito mais com ele. Claro que o estilo dele e do Guto (Ferreira, técnico da Chapecoense) são diferentes, mas melhorei bastante taticamente", contou o atacante, que pode começar no banco de reservas na partida contra o Joinville.

No primeiro jogo da decisão em Santa Catarina, a Chapecoense venceu fora de casa por 1 a 0. Como chegou há pouco tempo no clube, ele ainda procura seu espaço, mas já marcou um gol na Copa do Brasil. "Vamos jogar em casa e com uma boa vantagem. Acho que a situação da Chapecoense é melhor. O Audax está embalado, mas tem que jogar fora de casa, contra a torcida. Estou confiante e espero ser campeão duas vezes", brincou.